Mundo

Expo Dubai arranca com Governo a esperar que participação portuguesa seja um "êxito"

Cerimónia de abertura da Expo Dubai.

Kamran Jebreili

O Pavilhão de Portugal conta com uma área de 1.800 metros quadrados, onde não falta a calçada portuguesa, cadeiras e candeeiros em cortiça, azulejos, um terraço com oliveiras e uma "concept store".

A Expo Dubai 2020 , a primeira exposição mundial na região do Médio Oriente, abre esta sexta-feira as portas ao público, com Portugal de regresso a este tipo de eventos e o Governo a esperar que a participação seja um "êxito".

A participação de Portugal na Expo Dubai, Emirados Árabes Unidos, significa o "regresso de Portugal a uma lógica de participação sistemática nas exposições internacionais", afirmou no início desta semana o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

"A nossa expectativa é que essa participação seja um êxito", referiu o ministro, na apresentação da programação portuguesa na exposição mundial, na passada segunda-feira.

Com o "Portugal, um mundo num país", o Pavilhão de Portugal conta com uma área de 1.800 metros quadrados, onde não falta a calçada portuguesa, cadeiras e candeeiros em cortiça, azulejos, um terraço com oliveiras e uma 'concept store', que pretende ser uma 'embaixada' transacional de promoção de marcas e produtos portugueses, com mais de 170 produtos distintivos.

O pavilhão, que tem como inspiração uma caravela, é um projeto resultante da parceria entre o Grupo Casais e o ateliê Saraiva + Associados, e está situado no distrito da sustentabilidade da Expo, uma das três áreas temáticas.

Dia de Portugal na Expo Dubai assinala-se a 14 de janeiro

Um dos momentos altos será o Dia de Portugal, que decorre em 14 de janeiro, com hastear de bandeira e hino nacional e atuação musical de Teresa Salgueiro no palco Al Wasl Plaza, bem como uma visita oficial ao Pavilhão de Portugal, em que haverá uma atuação do grupo de percussão Retimbrar.

À noite, decorrerá o espetáculo musical e multimédia Al Qantara, com António Chaínho, Marta Pereira da Costa, Teresa Salgueiro, DJ Fred e Retimbrar no palco Jubilee, de onde o terraço do Pavilhão de Portugal tem vista privilegiada.

No dia anterior, 13 de janeiro, terá lugar um seminário de negócios com a presença de empresas portuguesas para promoção de oportunidades de negócio.

Mas já este mês, entre 14 e 16 de outubro, decorrerá o Festival Lusofonia, com Tito Paris, Marco Rodrigues, Sopa de Pedra e Danças Ocultas. Em 24 de outubro, haverá a atuação dos Pauliteiros de Miranda e de Luísa Amaro.

Seis meses de feira com semanas temáticas

Ao longo dos seis meses da feira haverá semanas temáticas. Outubro será dedicado ao setor das tecnologias de informação e comunicação (TIC) e 'startups' inovadoras.

Neste âmbito, está prevista a participação de empresas portuguesas da área das TIC em exposição de materiais/equipamento com interatividade com o público, por exemplo painéis interativos, robôs, realidade aumentada e realidade virtual, de acordo com a organização.

Decorrerão também um seminário e 'networking' organizados pelas associações ANETIE e ANJE e o evento promocional Yes Portugal Dubai, com reuniões com parceiros locais.

Em novembro, o setor em destaque será casa & 'design', em que as empresas e associações desta fileira (AIMMP, APIMA, AIPI, Home From Portugal) irão participar com uma mostra de mobiliário, objetos decorativos e produtos de 'design'.

"Serão feitas apresentações da fileira casa e palestras sobre 'design' português", de acordo com o programa.

Em dezembro será a vez da moda e da joalharia. No caso da primeira, está prevista uma missão empresarial do setor do vestuário e confeção, organizada pela ModaPortugal (ANIVEC e CENIT). Haverá ainda lugar para um 'showcase' promocional com a presença de estilistas portugueses.

No que se refere à joalharia, haverá uma exposição de peças de ouro e prata, organizada pela Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal (AORP), e artesãos de filigrana também vão marcar presença.

Portugal vai ainda participar no 'Golden Jubilee', os 50 anos da unificação dos Emirados Árabes Unidos, que decorre em 1 e 2 de dezembro.

Os setores de saúde & bem-estar e segurança estarão em destaque janeiro, em fevereiro será a vez do agroalimentar e das regiões Alentejo e Ribatejo.

Em março, o último mês da feira, Portugal dará destaque à região da Madeira e aos setores de energia & ambiente e indústrias criativas.

Expo Dubai, o primeiro grande evento desde o início da pandemia

A Expo Dubai, que termina em 31 de março de 2022, é o primeiro grande mega evento desde o início da pandemia onde são esperados 25 milhões de visitantes.

Reúne mais de 200 participantes, incluindo 192 países, como também organizações multilaterais, empresas e estabelecimentos de ensino durante 182 dias. Localizado no sul do Dubai, o local conta com 4,38 quilómetros quadrados, dos quais cerca de dois quilómetros quadrados são área fechada.

O "coração" da Expo é a praça Al Wasl (que significa conexão), que conta com uma cúpula de 130 metros de largura e 67,5 metros de altura, que engloba um espaço de 724.000 metros cúbicos, segundo dados da organização. Tal corresponde ao volume de quase 300 piscinas olímpicas - e é mais alto do que a Torre de Pisa.

O projeto conta com 13,6 quilómetros de aço, o equivalente à altura de 16 Burj Khalifas (a torre mais alta do mundo, com 828 metros, que fica no Dubai), pesa 2.544 toneladas, o mesmo que 25 baleias azuis e é quase tão largo quanto dois aviões Airbus A380 alinhados asa a asa.

As três áreas temáticas da Expo 2020, oportunidade, mobilidade e sustentabilidade, apresentam-se em forma de pétalas, as quais convergem na praça Al Wasl.

Por exemplo, a energia do pavilhão da sustentabilidade Terra é gerada através de painéis fotovoltaicos - 4.912 deles estão dispostos ao longo do topo do telhado de 130 metros de largura e no topo de 18 designadas "árvores de energia" na área circundante.

O tamanho destas 'árvores' varia entre os 10 e os 15,2 metros.