Mundo

Polícia alemã lança operação contra rede suspeita de branquear 140 milhões de euros

fhm

Rusgas envolveram mais de 1.000 agentes.

A polícia alemã efetuou uma operação em larga escala em 25 cidades contra uma rede suspeita de branqueamento de dinheiro que terá arrecadado ilicitamente cerca de 140 milhões de euros, anunciaram as autoridades.

A polícia de Dusseldorf afirmou que as rusgas, que começaram às primeiras horas, envolveram mais de 1.000 agentes e realizaram-se nos estados da Renânia do Norte-Vestefália, Baixa Saxónia e Bremen.

Onze pessoas foram detidas, incluindo um homem de nacionalidade siria de 39 anos, acusado de pertencer ao grupo extremista da Frente Nusra da Síria, disse a polícia.

A polícia de Duesseldorf afirmou que o dinheiro sujeito a branqueamento, desde 2016, provém de uma vasta gama de fontes, incluindo atividades criminosas como roubo à mão armada e extorsão.

"Segundo as estimativas iniciais, o volume de transações no período sob investigação foi de cerca de 140 milhões de euros", disse a polícia num comunicado.

Rede 'hawala'

As rusgas fazem parte de uma investigação sobre a chamada rede 'hawala', amplamente utilizada nos países muçulmanos, na qual indivíduos e não bancos atuam como entidades de transferências de dinheiro.

Trata-se de um sistema informal que permite transferir grandes somas de dinheiro para o estrangeiro que, se enviado através do sistema bancário, exigiria a aprovação da autoridade de supervisão bancária, de acordo com a agência de notícias alemã DPA.

Este método é proibido na Alemanha, segundo a DPA.

A emissora pública alemã WDR informou que o dinheiro em causa incluía fundos provenientes do tráfico de droga e que uma parte foi enviado para a Turquia e Síria, onde pode ter sido utilizado para financiar grupos extremistas.

A polícia disse que os suspeitos são também acusados de obterem ilegalmente benefícios.

Rusgas em casas, apartamentos, escritórios e instalações comerciais

Os agentes apreenderam objetos de valor como carros de luxo, ouro, joias e relógios de marca, no valor de mais de dois milhões de euros.

A DPA disse que as rusgas da polícia envolveram 80 casas, apartamentos, escritórios e instalações comerciais.

A investigação começou após a descoberta casual de 300.000 euros em dinheiro escondidos num saco de ginástica durante uma operação de rotina da polícia numa autoestrada, acrescentou a DPA.

O Ministério Público de Dusseldorf deverá divulgar mais pormenores sobre o caso numa conferência de imprensa prevista para esta quarta-feira à tarde.