Mundo

Chuvas torrenciais causam 19 mortos e cerca de 10 desaparecidos no sul da Índia

Getty Images

Entre os desaparecidos está uma criança de um ano.

As chuvas torrenciais dos últimos dias mataram pelo menos 19 pessoas e causaram cerca de 10 desaparecidos no sul da Índia, avança este domingo a Efe, citando fonte do Departamento de Informação do estado de Querala.

Segundo a fonte, as mortes e os desaparecimentos, inclusive de uma criança de um ano, foram causados "principalmente pelos deslizamentos de terras" motivados pela intempérie.

A Força Nacional de Resposta a Catástrofes (NDRF) está a realizar operações de busca e salvamento, principalmente em Idukki, onde houve um deslizamento de terras que "varreu tudo o que encontrou pelo caminho" numa encosta de uma montanha.

A Efe refere que pelo menos 33 pessoas, incluindo sete crianças, foram resgatadas durante as operações de socorro em Querala, citando o diretor geral da NDRF, Satya Pradhan.

Segundo o Departamento Meteorológico indiano, a situação está a melhorar e nos distritos mais afetados pela chuva este domingo o código de aviso foi reduzido de vermelho (chuva forte ou extremamente forte) para amarelo (chuva moderada).

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, numa mensagem no na rede social Twitter, lamentou as mortes em Querala e enviou condolências às famílias das vítimas.

Deslizamentos de terras e inundações são comuns durante a época das monções no sul da Ásia, onde, além das mortes registadas, há danos patrimoniais significativos, mas, aponta a Efe, o estado de Querala tem sido "particularmente atingido" durante os últimos anos.

Em 2018, entre maio e agosto, chuvas torrenciais causaram as piores inundações em quase um século naquele estado indiano, registando-se pelo menos 370 mortes, e em 2018 chuvas fortes mataram 76 pessoas.

► Veja mais:

  • Esqueçam o atrás...

    Tenham noção

    O recado de Rodrigo Guedes de Carvalho sobre redundâncias. Tenham noção que dizer ou escrever "há cinco anos atrás", "subir para cima" ou "descer para baixo" é desnecessário.

    SIC Notícias