Mundo

Três mortes e mais de 30 pessoas hospitalizadas após explosões no Uganda

A polícia divulgou vídeos do momento da explosão captados por câmaras de vigilância.

Duas explosões, com intervalo de três minutos, provocaram a morte a pelo menos três pessoas, esta terça-feira, em Kampala, capital do Uganda, segundo o último balanço avançado pela agência de notícias Associated Press (AP).

As explosões aconteceram no centro da cidade, uma delas perto do Parlamento e outra nas imediações de uma esquadra da polícia. Pelo menos 33 pessoas foram levadas para um hospital em Kampala. Segundo a AP, cinco estão em estado grave.

O ataque terá sido coordenado por extremistas que se opõem ao Governo e provocado por três homens-bomba, que também morreram nas explosões, explica a polícia, que divulgou vídeos captados por câmaras de vigilância do momento das explosões.

Na sequência dos ataques, instalou-se o caos em Kampala e vários moradores fugiram do centro da cidade. Segundo o porta-voz da polícia Fred Enanga, as ameaças de bomba continuam ativas. Ainda esta terça-feira, a polícia deteve um quarto homem-bomba, que poderia ter provocado uma terceira explosão.

As autoridades do Uganda reforçaram a segurança no mês passado, após a explosão de uma bomba num restaurante dos arredores de Kampala, que provocou a morte a sete pessoas.

Uma organização ligada ao grupo Estado Islâmico reivindicou o ataque de dia 23 de outubro contra o restaurante. Dois dias depois deste atentado, uma bomba acionada por um atacante suicida fez dois mortos, numa paragem de autocarros da capital.