Mundo

A falta de memória de Boris Johnson sobre reunião com oligarca russo e ex-KGB

A falta de memória de Boris Johnson sobre reunião com oligarca russo e ex-KGB
Dave M. Benett
O primeiro-ministro britânico enfrenta questões sobre a sua relação com Evgeny Lebedev e o seu pai, Alexander.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, defendeu, esta terça-feira, a sua reunião com um oligarca russo, antigo membro do KGB, dizendo que “tanto quanto" se lembra, não discutiu assuntos governamentais quando estiveram juntos em 2018.

Johnson, que deixou de liderar o Partido Conservador, em 7 de julho, depois de vários escândalos éticos ao longo de meses, está a enfrentar questões sobre a sua relação com Evgeny Lebedev, natural da Federação Russa e proprietário de jornais, e o seu pai, Alexander. Este, empresário é do tempo da Guerra Fria, foi agente da KGB e foi sancionado agora pelo Canadá pelo seu papel na facilitação da invasão da Ucrânia pela tropa russa.

Em abril de 2018, Boris Johnson foi a uma festa na mansão italiana de Evgeny Lebedev, a qual contou também com a presença de Alexander Lebedev. Johnson, que era então o ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, participou sem a companhia de qualquer outro membro do Governo britânico.

O evento decorreu durante o regresso de Boris Johnson de uma reunião da NATO e semanas depois de um antigo espião russo, Sergei Skripal, e a sua filha, Yulia, terem sido envenenados com o agente químico Novichok na cidade inglesa de Salisbury. Um agente da polícia e dois residentes locais ficaram doentes, com um destes, Dawn Sturgess, a morrer mesmo.

O Reino Unido responsabilizou o serviço de informações militares russo GRU pelo ataque de Salisbury, o que o Kremlin recusou.

Boris Johnson disse a uma comissão de parlamentares seniores que o seu encontro com Alexander Lebedev “não foi uma reunião formal, nem nada que tivesse sido combinado”. Acrescentou que era normal que o chefe da diplomacia britânica participasse em “situações sociais, privadas”, sem colaboradores ou segurança própria.

Em uma carta divulgada, esta terça-feira, pelo comité de ligação parlamentar, disse: “Tanto quanto me lembro, não foram discutidos assuntos governamentais” na festa.

Angela Rayner, vice-líder do oposicionista Partido Trabalhista, disse que “a declaração (de Boris Johnson) levanta mais questões do que as que responde”.

Salientou que Johnson “aparentemente continua a não ser capaz de se lembrar se fala dos assuntos governamentais ou não. Esta carta sugere que o primeiro-ministro tem alguma coisa a esconder”.

Evgeny Lebedev é proprietário dos jornais britânicos Evening Standard e Independent. Em 2020 recebeu um título de lorde britânico - Lord Lebedev da Sibéria - e um lugar na Câmara dos Lordes do Governo de Boris Johnson. A comunicação social reportou que os serviços de informação britânicos tinham expressado a sua preocupação com a decisão de Boris Johnson.

Desde que a Federação Russa invadiu a Ucrânia, em 24 de fevereiro, que o Governo de Boris Johnson tem sancionado centenas de russos ricos e reprimido a lavagem de dinheiro russo, através dos mercados financeiro e imobiliário britânico.

A oposição política e ativistas anticorrupção têm criticado Johnson, por ter permitido, ao longo de anos, a lavagem de dinheiro sujo através de propriedades, bancos e empresas no Reino Unido, o que transformou Londres em uma ‘lavandaria’ de dinheiro com origem criminosa.

Últimas Notícias
Mais Vistos