Mundo

A história de Pooja: fugiu de cativeiro e reencontrou a família nove anos depois

A história de Pooja: fugiu de cativeiro e reencontrou a família nove anos depois
Twitter
Pooja Gaud tinha sete anos quando desapareceu à porta da escola. Uma pesquisa no YouTube foi determinante para a fuga.

Uma criança que desapareceu em 2013, na Índia, reencontrou a família este mês, depois de conseguir fugir com a ajuda de uma babysitter. Pooja Gaud tinha sete anos quando desapareceu.

Agora com 16 anos, Pooja Gaud conta que foi sequestrada por um casal à saída da escola, em Mumbai, conta a BBC.

Os responsáveis pelo rapto são Harry D'Souza e Soni D'Souza. O casal justifica o ato com o facto de, à data, não terem conseguido ser pais.

O homem foi entretanto preso por sequestro, ameaças, violência física e desrespeito pelas leis de trabalho infantil. As autoridades não esclareceram as razões para a mulher ter ficado em liberdade.

O rapto

No dia em que desapareceu, 22 de janeiro de 2013, Pooja tinha ido para a escola com o irmão mais velho. À entrada, terão tido uma pequena discussão e o irmão, já atrasado para as aulas, entrou na escola sem Pooja. O casal aproximou-se da criança nesse momento e ofereceu-lhe um gelado, atraindo-a para o carro.

Inicialmente, terão ido para Goa e Karnataka. Durante pouco tempo, a criança foi autorizada a frequentar a escola. No entanto, a situação piorou quando o casal, após conseguir ter um filho, se mudou para Mumbai.

Os abusos

A jovem foi retirada da escola e passou a ser escrava dos raptores:

Batiam-me com um cinto e davam-me pontapés e socos. Uma vez bateram-me com um rolo da massa com tanta força que as minhas costas começaram a sangrar. Também me obrigavam a fazer tarefas domésticas e a trabalhar de 12 a 24 horas seguidas.

Enquanto esteve sequestrada, Pooja não tinha acesso a dinheiro nem a telefone e estava constantemente a ser vigiada.

A fuga

A jovem decidiu pedir ajuda para fugir depois de, numa noite, com o casal a dormir, ter pesquisado o seu nome no YouTube e ter encontrado vídeos sobre o seu desaparecimento.

Demorou sete meses a ganhar coragem para pedir ajuda à babysitter e empregada doméstica que trabalhava para os sequestradores. A mulher, de 35 anos, ajudou-a: ligou para um dos números dos cartazes do desaparecimento e falou com um vizinho da família.

A mãe de Pooja conseguiu entrar em contacto por videochamada e reconheceu a filha através de uma marca de nascença.

Pooja conseguiu reencontrar a mãe, Poonam Gaud, no dia 4 de agosto. O pai tinha morrido pouco meses antes, vítima de cancro.

A mãe da jovem acredita que o regresso da filha foi um milagre:

Tinha perdido a esperança de encontrar a minha filha, mas Deus ajudou-me

A família apresentou queixa à polícia.

Últimas Notícias
Mais Vistos