Mundo

"Gripe do tomate": casos da infeção viral aumentam na Índia e preocupam autoridades

(Rajesh Kumar Singh/ AP)
(Rajesh Kumar Singh/ AP)
(Rajesh Kumar Singh/ AP)
Há registo de mais de 100 pessoas infetadas no país, a maioria crianças.

Mais de 100 pessoas já foram infetadas na Índia com a "gripe do tomate", sendo que 82 casos confirmados são de crianças com menos de cinco anos.

A "gripe do tomate" foi assim intitulada devido às bolhas vermelhas que causa na pele dos infetados. A doença não é mortal mas apresenta uma fácil e rápida transmissibilidade, facto que levou o ministro da Saúde da Índia a alertar a população para a necessidade de se realizarem testes. Pediu ainda aos pais que estejam especialmente atentos a potenciais sintomas que as crianças possam desenvolver, segundo relatou o jornal Times of India.

Mas afinal o que é a "gripe do tomate"?

Esta gripe é uma infeção viral altamente contagiosa que é transmitida através do contacto próximo, especialmente entre crianças de tenra idade.

Quais são os sintomas?

Nesta lista está incluída a fadiga, as náuseas, a diarreia, a febre, a desidratação, o inchaço das articulações, as dores corporais, e os sintomas comuns semelhantes aos da gripe, bem como as bolhas de tom avermelhado similares a tomates.

Quem pode ser infetado?

As crianças são o grupo mais exposto a esta doença uma vez que não têm tantos cuidados de higiene. O facto de partilharem vários objetos e de os colocarem mais facilmente na boca, e de tocarem frequentemente em superfícies não higienizadas são fatores que potenciam a infeção. Porém, o vírus poderá atingir os adultos, caso a sua propagação não seja controlada.

Como tratar a infeção?

Até ao momento ainda não existe um tratamento verificado, uma vez que este vírus foi identificado recentemente. Em caso de infeção o melhor é, segundo um artigo publicado no jornal britânico The Lancet, proceder ao isolamento entre cinco a sete dias. A "gripe do tomate" é uma doença que se cura naturalmente sem obrigar a algum tratamento.

Segundo o mesmo artigo, esta doença é similar à síndrome mão-pé-boca e não está relacionada com a covid-19, apesar de alguns sintomas serem semelhantes.

O mais provável, acreditam os especialistas, é que este vírus seja um efeito secundário da dengue e da chikungunya, ambas doenças virais transmitidas por mosquitos.

Últimas Notícias
Mais Vistos