Mundo

Projeções à boca das urnas em Itália dão vitória à coligação de direita

Projeções à boca das urnas em Itália dão vitória à coligação de direita
Pier Marco Tacca

Giorgia Meloni poderá ser a primeira mulher a liderar um Governo em Itália.

As projeções à boca das urnas em Itália apontam para uma vitória da coligação de direita, com o partido de extrema-direita Fratelli d'Italia (Irmãos de Itália), de Giorgia Meloni, a conseguir o maior número de votos.

A confirmar-se a vitória, será a primeira vez que Itália tem um Governo com a extrema-direita. Para além disso, poderá ser também a primeira vez que uma mulher lidera um Governo italiano.

Os primeiros resultados oficiais das legislativas só deverão ser conhecidos durante a madrugada desta segunda-feira.

[Última atualização às 23:55 de 25-09-2022]

Devido à pulverização partidária, nenhum partido deverá obter uma maioria suficiente para governar sozinho.

A direita conseguiu um acordo de coligação que poderá levar Meloni ao poder, juntamente com o partido conservador Força Itália, do ex-primeiro-ministro Sílvio Berlusconi, e da Liga, de Matteo Salvini, conhecido pela sua política dura contra a imigração.

Ainda de acordo com as primeiras projeções, em segundo lugar ficou o Partido Democrático, de Enrico Letta, com 17% a 21% dos votos.

As projeções dos resultados dos partidos:

  • Irmãos de Itália: 22% a 26%
  • Partido Democrático: 17% a 21%
  • Movimento Cinco Estrelas: 13,5% a 17,5%
  • Liga Norte: 8,5% a 12,5%
  • Ação — Itália Viva: 6,5% a 8,5%
  • Força Itália: 6% a 8%
  • Aliança de Esquerda/Verdes: 3% a 5%
  • +Europa: 2,5% a 4,5%
  • Italevit: 0,5% a 2,5%
  • Nós, Moderados: 0,5% a 2,5%
  • Centro Democrático: 0% a 2%
  • Outros: 4% a 6%

As projeções dos resultados das coligações:

  • Centro-Direita: 41%-45%
  • Centro-Esquerda: 25,5%-29,5%
  • Movimento 5 Estrelas: 13,5%-17,5%

Os números da abstenção

Segundo o Ministério dos Assuntos Internos, às 23:00, hora a que fecharam as urnas em Itália, a afluência era de 64%, o que significa uma taxa de abstenção a rondar os 36%. A confirmarem-se estes valores, é um aumento de nove pontos percentuais face a 2018.

Os lugares no Senado

A coligação de centro-direita prepara-se para controlar o Senado italiano, após as eleições gerais, assegurando entre 111 a 131 lugares na Câmara Alta.

O centro-esquerda deverá ter entre 33 e 53 senadores, o Movimento 5 Estrelas (M5S) 14 a 34 e o terceiro polo centrista de Azione-Italia Viva quatro a 12 lugares, de acordo com a sondagem à boca das urnas, citada pela ANSA.

Mais de 50 milhões de italianos foram chamados a votar nestas eleições legislativas.

Últimas Notícias
Mais Vistos