Mundo

Furacão Júlia atinge América Central e causa mais de 25 mortes

Militares de El Salvador patrulham uma estrada após passagem do Furacão Júlia.
Militares de El Salvador patrulham uma estrada após passagem do Furacão Júlia.
MARVIN RECINOS

Tempestade enfraqueceu ao tocar terra na Nicarágua e dissipou-se já sobre a Guatemala.

Pelo menos 26 pessoas morreram e quatro estão dadas como desaparecidas à passagem do furacão Júlia pela América Central, onde deixou um rasto de destruição e inundações, disseram autoridades locais.

Dez pessoas morreram em El Salvador, duas nas Honduras e 14 na Guatemala, de acordo com balanços oficiais divulgados por polícia e Governos.

A tempestade enfraqueceu ao tocar terra na Nicarágua, no domingo, e dissipou-se já sobre a Guatemala na segunda-feira.

O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos indicou que o Júlia se tinha dissipado completamente, na Guatemala ocidental, mas acrescentou que as chuvas ainda podiam causar inundações na América Central e no sul do México.

Da Guatemala ao Panamá, as autoridades relataram chuvas intensas e fortes rajadas de vento que derrubaram árvores, danificaram estradas e destruíram casas e pontes.

No final de 2020, os furacões Eta e Lota tinham causado pelo menos 200 mortos e igual número de desaparecidos, com prejuízos estimados em vários milhões de euros.

Últimas Notícias