Mundo

O caso da enfermeira acusada de matar 7 recém-nascidos no Reino Unido

Correspondente SIC

Loading...
Alertamos que alguns pormenores desta reportagem podem chocar os espectadores mais sensíveis.

Começou a ser julgada no Reino Unido uma enfermeira de um serviço neonatal suspeita de ter matado sete bebés recém-nascidos e ter ainda tentado assassinar outros 10. A mulher de 32 anos, está acusada de 22 crimes, mas clama inocência.

Os crimes ocorreram no hospital Condessa de Chester, a sul de Liverpool, entre 2015 e 2016. Três crianças foram mortas através da injeção de ar. As duas primeiras na corrente sanguínea. A terceira, no estômago. Outras duas crianças morreram depois de terem sido envenenadas com insulina.

Ao todo, a enfermeira terá matado cinco rapazes e duas raparigas e tentou assassinar outros 10 recém-nascidos.

Lucy Letby esteve sempre de serviço nos turnos em que as 17 crianças foram atacadas. A mulher terá ainda sido apanhada em flagrante por uma mãe de gémeos, que apesar de ver que o filho estava a sangrar da boca, acreditou que a enfermeira o estava a salvar.

A suspeita teria ainda o hábito de pesquisar a vida dos pais das crianças nas redes sociais.

O julgamento começou esta segunda-feira, em Manchester. Uma sessão à qual assistiram os pais da enfermeira e os pais das crianças assassinadas.

A acusação diz que a morte e o colapso dos 17 bebés não foram ocorrências naturais ou acidentais, mas sim o resultado das ações da enfermeira. O procurador disse ainda que, quando a enfermeira não conseguia matar a criança à primeira, tentava uma segunda e até uma terceira vez.

Últimas Notícias