Mundo

"Farmácia do mundo" interrompe produção de xarope ligado a mortes de crianças

"Farmácia do mundo" interrompe produção de xarope ligado a mortes de crianças
Cavan Images

A OMS avisa que a exposição global é possível.

Um relatório divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) forçou a farmacêutica Maiden, com sede em Nova Déli, a parar a produção de xaropes para a tosse destinados a crianças. Em causa estão ligações a casos de lesão renal aguda. Os casos foram reportados em Gâmbia, mas a Indonésia também está a registar um número considerável de mortes associadas à lesão renal aguda.

Cerca de 70 crianças morreram no país africano devido a lesão renal aguda e após terem tomado um xarope para tratar constipações.

Perante estes casos, os peritos da OMS investigaram as causas destas mortes e emitiram um alerta sobre quatro xaropes para a tosse e constipação fabricados pela Maiden Pharmaceuticals.

As conclusões surgiram após uma análise laboratorial de amostras que revela a presença de “quantidades inaceitáveis de dietilenoglicol e etilenoglicol”, um composto tóxico tanto para animais como para humanos, podendo ser letal.

Recorde-se que este composto, que tem um sabor doce e é relativamente barato de produzir, foi responsável em 2020 por uma série de mortes em Minas Gerais (Brasil), associadas ao consumo de cervejas da marca Backer.

A ingestão da substância etilenoglicol deve ser considerada uma emergência médica. O efeito tóxico destes anticongelantes “pode incluir dor abdominal, vómitos, diarreia, incapacidade de urinar, dor de cabeça, alteração do estado mental e lesões renais agudas que podem levar à morte”, esclarece a OMS.

Os produtos foram identificados na Gâmbia, mas podem ter sido distribuídos para outros países de mercados informais.

“Além disso, o fabricante pode ter utilizado o mesmo material contaminado noutros produtos e tê-los distribuído localmente ou exportado”, avisou a agência, considerando que “a exposição global é, portanto, possível”.

A Maiden Pharmaceuticals exporta fármacos para países da África, Ásia e América Latina, de acordo com a Reuters.

Na sequência nestes casos em África, as autoridades de saúde indianas garantiram, esta quarta-feira, que a produção da Maiden no país parou e revelaram que foram encontradas 12 falhas de boas práticas durante as operações à fábrica.

OS CASOS DE LESÃO RENAL NA INDONÉSIA

Depois dos casos na Gâmbia, a Indonésia expõe que desde janeiro foram confirmados 131 casos de lesão renal aguda em todo o país. A agência de Saúde de Jacarta indica que dos casos registados, 68% foram fatais.

Na capital Jacarta morreram pelo menos 20 crianças com lesões renais agudas.

Ainda assim não há, para já, uma correlação direta, diz o porta-voz do Ministério da Saúde, Mohammad Syahrill. Este responsável garantiu que os xaropes não estavam registados no país, por isso foi aberta uma investigação.

ÍNDIA PRODUZ UM TERÇO DOS MEDICAMENTOS DO MUNDO

A Índia é conhecida por produzir um terço dos medicamentos do mundo, principalmente genéricos. O país é a sede de algumas das principais farmacêuticas, sendo até conhecido como “a farmácia do mundo”.

A Índia também atende a grande parte das necessidades médicas das nações africanas.

Últimas Notícias
Mais Vistos