Mundo

Taiwan denuncia novas incursões de aviões e navios chineses

Taiwan denuncia novas incursões de aviões e navios chineses
Chiang Ying-ying
O Ministério da Defesa de Taiwan confirmou as incursões de 22 aviões e três navios na sexta-feira.

O Ministério da Defesa de Taiwan denunciou uma série de novas incursões no espaço aéreo e marítimo do território por aviões e navios do Exército de Libertação Popular chinês.

O Ministério da Defesa de Taiwan confirmou as incursões de 22 aviões e três navios na sexta-feira e de perto de 20 aviões chineses e três navios na quinta-feira.

O Governo da ilha, que usou as redes sociais para divulgar a ocorrência, respondeu com o desdobramento dos seus próprios aviões e navios.

Estas incursões seguem o padrão habitual estabelecido nos últimos meses pelo exército chinês, que chegou ao ponto de levar a cabo incursões até ao largo da costa de Taiwan, em agosto, na sequência de uma visita à ilha pela Presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi.

Para a China, a visita de Pelosi foi um dos piores agravamentos das relação diplomáticas nos últimos tempos, interpretada como um gesto de reconhecimento dos EUA da independência de Taiwan.

Após Pelosi se deslocar à ilha - a visita de mais alto nível realizada pelos Estados Unidos ao território em 25 anos – Pequim lançou exercícios militares numa escala sem precedentes, que incluíram o lançamento de mísseis e o uso de fogo real. Durante quase uma semana, o Exército de Libertação Popular fez um bloqueio marítimo e aéreo de facto ao território.

China e Taiwan vivem como dois territórios autónomos desde 1949, altura em que o antigo governo nacionalista chinês se refugiou na ilha, após a derrota na guerra civil frente aos comunistas. Pequim considera Taiwan parte do seu território e ameaça a reunificação através da força, caso a ilha declare formalmente a independência.

Últimas Notícias
Mais Vistos