Mundo

Nevão "violento" surpreende condutores em Espanha

Loading...

Na principal estrada de acesso a Madrid, centenas de espanhóis agurdaram horas pelo resgate devido ao nevão que assolou o país repentinamente.

Tal como em Portugal, o mau tempo também tem feitos estragos na Bélgica, Espanha e em Itália.

Na vizinha Espanha, a Fien é a primeira grande tempestade deste Inverno, a Bélgica sofre uma vaga de frio e Itália encontra-se inundada - até em Veneza. A massa de ar polar agravada pelo anticiclone dos Açores levou neve, chuva e vento a quase todo o território e agravou a vida de milhões de espanhóis.

Na M601, a principal via de acesso a Madrid, houve centenas de condutores surpreendidos pela violência do nevão, o que os obrigou a aguardar horas ao frio pelo resgate, para poder seguir viagem.

No País Basco, a capital Gazteiz ou Vitória, amanheceram esta quarta-feira sob um manto branco. Já na vizinha província de Navarra o dia foi também de trabalho intenso para os limpa-neves.

É sobretudo o norte de Espanha que sofre os efeitos da tempestade Fien, a primeira grande tempestade deste inverno, com um recorde de treze graus negativos nos Pirinéus.

Com a massa polar agravada pelo anticiclone dos Açores, há também muita chuva e ventos fortes nas Astúrias e na Cantábria. Depois de dois dias de intensa precipitação, a turística povoação de Laredo ficou inundada.

Na Bélgica, e depois das surpreendentes temperaturas amenas da quadra natalícia, começou esta semana uma vaga de frio.

Em Itália, no centro do país, os ventos fortes e as chuvas torrenciais provocaram inundações e a queda de árvores, o que acionou centenas de intervenções dos bombeiros.

Mas, em Veneza, o mau tempo pode também ser um cartaz turístico. Mesmo sem alerta meteorológico, a água alta, a preia-mar ou maré alta agravada pelos ventos do Adriático que inunda a cidade nesta época, serviu às autoridades para divulgar novas imagens da praça de São Marcos.

Portugal enfrenta uma descida da temperatura, que pode atingir menos cinco graus no interior Norte e Centro. A descida de temperatura deve-se à passagem de "superfícies frontais frias que atravessam o território de norte para sul, às quais estão associadas massas de ar polar, provenientes de noroeste".

Últimas Notícias
Mais Vistos