Olhares pelo Mundo

Ratazanas treinadas na Tanzânia para operações de busca e salvamento

Loading...

Estes roedores podem ter melhor desempenho do que os cães por serem mais pequenos e terem maior agilidade.

Ratazanas estão a ser treinadas para operações de busca e salvamento. O trabalho está a ser desenvolvido pela organização não governamental belga APOPO na Tanzânia.

Os animais são equipados com mochilas minúsculas que transportam tecnologia desenvolvida para o efeito e, desde agosto de 2021, que recebem um treino especializado no Centro de Pesquisas da APOPO em Morogoro, no sul do país.

A APOPO foi criada em 1997 com o principal objetivo de treinar animais para a deteção de minas terrestres e tuberculose. A organização tem-se dedicado ao treino de cães e ratazanas, de espécies particularmente dotadas para este tipo de missões.

As ratazanas em causa não são os roedores comuns que as pessoas associam às lixeiras. Estes são animais da espécie Cricetomys gambianus, vulgarmente conhecidos por ratos gigantes africanos. Dotados de grande agilidade e de um poderoso olfato, assemelham-se a cães na capacidade de localização.

"Para as operações de resgate, as equipas geralmente usam cães e diferentes tipos de tecnologia. Há muito tempo que os cães são usados para a localização de seres humanos em operações de resgate, mas de uma forma ou de outra apresentam limitações na capacidade de penetração em edifícios e estruturas em colapso. Foi por isso que surgiu a ideia de se começar a treinar ratazanas. Estes animais têm capacidades idênticas aos cães, mas apresentam algumas vantagens por serem mais pequenos e terem maior agilidade", explicou à agência Reuters a especialista da APOPO, Donna Kean.

Últimas Notícias
Mais Vistos