Opinião

A busca do amor - mesmo onde não existe

Do ponto de vista jornalístico é a história de um roubo e de alguém que engana várias outras pessoas.

Uma história muito bem montada e ainda melhor contada.

Podia ser roubo de dinheiro.

E uma burla, num qualquer negócio duvidoso.

Acontecem todos os dias, como já sabemos.

Mas, neste caso, não houve bens materiais envolvidos.

Houve algo que não tem preço.

Algo que é, quase, tão essencial ao ser humano quanto respirar - afectos.

E houve alguém que, muito ardilosamente, roubou afectos a diversas outras pessoas.

Roubou e deu.

Porque, até neste caso, uma coisa não é possível sem a outra.

Mas fê-lo de forma enganosa.

Mentindo, inventando personagens, criando falsos cenários para a história, usurpando as fotografias de outros.

Alguém que, para além de não ter tido escrúpulos, tem mais problemas, e é mais carente, do que todas as outras pessoas a quem enganou, juntas.

Mas todas tinham algo em comum, e que não é um sinal dos tempos em que vivemos.

É algo em que a humanidade sempre acreditou.

Porque é inato a nós.

Que o amor, o romântico ou o da amizade, pode ser encontrado em qualquer lugar.

Mesmo onde não existe.