Opinião

Por estes dias #dia 11 

Fiquem em casa

Era um sábado de sol.

Milhares de famílias a caminho do sul, do sol, de uns dias de férias na praia e nas casas de fim de semana.

Os miúdos de férias, os pais ficam para o fim de semana, este, o próximo e o seguinte e os avós estão à espera dos netos.

Carro cheio, a caminho do descanso, a excitação natural desta época do ano, mudar de ares, fazer coisas diferentes do dia a dia, estar noutro lugar onde também se gosta, com quem se gosta.

Claro que há filas... de trânsito.

Há sempre, nesta altura.

São muitos os que pensam da mesma forma e aproveitam os mesmos dias para escapar das rotinas, do dia a dia.

É preciso tempo e paciência, mas acaba por compensar.

Daqui a umas horas, ao jantar, que a avó anda a preparar desde ontem, estaremos todos juntos, vamos matar saudades dos beijos e abraços e à noite, quem sabe, sair para passear, ir ver como estão os vizinhos do costume, ir a casa de amigos e familiares mais próximos que também estão, a sul, ao sol.

Daqui a duas semanas, quanto os miúdos tiverem de regressar à escola, virão cheios de energia, e os avós, cansados mas felizes.

Agora com a mudança da hora, vamos poder fazer isto mais vezes aos fins de semana com bom tempo.

Não.

Isto foi o ano passado.

Não.

Há duas formas de evitar a propagação do vírus.

Manter distâncias sociais e manter a higiene e desinfeção regulares.

Não podemos ir de férias.

Não podemos sair de casa.

Não podemos dar beijos aos avós. Nem abraços. Nem sequer os devíamos ver.

Não podemos sair para passear como se fossem umas «férias» de Páscoa normais.

Qual é a parte que NÃO PERCEBERAM?

Fiquem em casa, porra.

Em casa.

E M C A S A.

LEIA TAMBÉM: