Opinião

“É óbvio que tem que haver austeridade”

A análise de Ricardo Costa ao discurso do Presidente da República no 10 de Junho.

No discurso da celebração do 10 de Junho, Marcelo Rebelo de Sousa disse esta quarta-feira que Portugal não pode fingir que não existiu pandemia, como não pode fingir que não existiu uma “brutal crise económica e financeira”.

Ricardo Costa considera que este aviso do Presidente da República “chega tarde demais” e que deveria ter sido feito pela altura do 25 de Abril ou durante o mês de maio. Até porque em junho a sociedade “desconfinou” e a política “já está noutra frase”.

Sobre o impacto económico, afirma que irá haver austeridade, mas que não será preciso recorrer aos mesmos mecanismos utilizados em 2011, devido às verbas e instrumentos “inéditos” disponibilizados por Bruxelas.