Opinião

É tempo de “clássico” em Alvalade 

José Manuel Freitas

José Manuel Freitas

Comentador SIC Notícias

Às terças e sextas o futebol marca presença maioritária no Match Point, mas o Desporto em geral terá sempre aqui o seu espaço. Na escrita de José Manuel Freitas.

Está de volta a Liga portuguesa. E com uma ronda que engloba dois jogos daqueles que o “povão” adora. Amanhã, em Alvalade – que foi casa da Seleção, com adeptos, no jogo de preparação com a Espanha e com a Suécia, da quarta ronda da Liga das Nações, que confirmou a liderança lusa e atirou para a ribalta Diogo Jota, o J21 – tem lugar o primeiro “clássico” da temporada, entre Sporting e o campeão em título FC Porto. No domingo, em Vila do Conde, o emblema que esteve muito próximo de fazer sensação na Liga Europa (frente ao Milan), recebe o Benfica, líder isolado da competição e uma das únicas duas equipas que ainda não perdeu pontos na competição – a outra é a formação liderada por Rúben Amorim, que continua por saber quando defrontará o Gil Vicente, jogo adiado da jornada inaugural devido a um surto de Covid nos dois conjuntos. E aquilo que se pode esperar, a bem do jogo, são dois jogos competitivos, intensos, se possível bem disputados, com os portistas a tentarem recuperar do desaire frente ao Marítimo e os leões a pensarem na invencibilidade, ao passo que em Vila do Conde, mesmo com previsíveis dificuldades, a equipa de Jorge Jesus dispõem de algum favoritismo.

MUITAS AUSÊNCIAS, VÁRIAS CARAS NOVAS

O regresso à ação na Liga é, porém, marcada pelo efeito mercado. No jogo de Alvalade, por exemplo, os adeptos leoninos já não verão de verde e branco futebolistas como Wendel, Acuña ou Doumbia, mas poderão voltar a acompanhar a qualidade de João Mário, seguramente a contratação mais sonante do período que encerrou no passado dia 6, ele que andou ultimamente pela Rússia, recusou clubes de Espanha, França ou Turquia. Já no lado portista, as baixas são mais significativas: o capitão Danilo, uma das figuras das últimas Ligas, Alex Telles, e um trio de avançados formado por Soares, Aboubakar e Zé Luís. Porém, Sérgio Conceição terá à sua disposição vários novos futebolistas, casos de Sarr, Filipe Anderson, Grujic, Toni Martinez ou Nanu. Já no Benfica, principal rival dos dragões na corrida ao título, Rúben Dias, Vinícius ou Florentino já não moram na Luz, mas entretanto chegou Todibo. Portanto, são várias ausências para o que estávamos habituados, mas também são muitas as caras novas.

SÁ PINTO NO VASCO DA GAMA

Mas não são apenas os futebolistas que procuram outros países. Também os treinadores encontram no estrangeiro espaço para prosseguirem as suas carreiras. É o caso de Ricardo Sá Pinto, que deixou o Sp. Braga na véspera de Natal de 2019, poucas horas depois de ter garantido a presença da equipa na “final four” da Taça da Liga, que os minhotos venceriam. Pois bem, o treinador escolheu o Brasil e vai treinar um dos clubes com mais historial no país e que tem forte ligação a Portugal: o Vasco da Gama. O clube “carioca” não passa por fase positiva, a qualidade do plantel não está de acordo com a sua grandeza – Talles Magno será exceção -, mas o treinador não deixa de arriscar. Espera-o tarefa ciclópica, mas como está habituado a lutar com as dificuldades…

FUTEBOL MAIS POBRE

Os últimos dias têm sido férteis em desaparecimentos. Aos 73 anos, na Moçambique que o viu nascer, faleceu Augusto Matine, antigo futebolista, principalmente, de Benfica (onde conquistou dois campeonatos e uma Taça de Portugal), V. Setúbal e Seleção Nacional, que representou em 9 ocasiões. Depois de Ângelo Martins e Kulkov, Matine. O que quer dizer que o futebol perdeu mais um dos seus protagonistas.

ALMEIDA E GUERREIRO NÃO DESARMAM

Já na Volta a Itália em bicicleta João Almeida continua de pedra e cal com a sua “maglia rosa”, enquanto Rúben Guerreiro também não se quer ver livre da camisola azul do prémio da montanha. Ou seja: dois portugueses no lote das principais figuras e com grandes possibilidades de assim continuarem nos próximos dias. Embora a próxima semana seja a mais complicada desta edição do “Giro”. Eventualmente com etapas com montanhas… cheias de neve.

► A PÁGINA DO MATCH POINT

  • 17:19