Opinião

Minho testa o leão líder 

José Manuel Freitas

José Manuel Freitas

Comentador SIC Notícias

Às terças e sextas o futebol marca presença maioritária no Match Point, mas o Desporto em geral terá sempre aqui o seu espaço. Na escrita de José Manuel Freitas.

Aí está o primeiro verdadeiro grande teste à liderança do leão na Liga portuguesa. Acontecerá na noite de amanhã, no Minho, em Guimarães, frente ao Vitória, equipa em crescimento, a exemplo dos lisboetas. Mesmo aceitando-se que jogar no recinto vimaranense não é tarefa fácil para ninguém, nos últimos 10 desafios ali os leões só foram derrotados numa ocasião e na época passada, já em tempo de pandemia e com Rúben Amorim como timoneiro, aconteceu um empate a dois golos. Só que desta feita, outra vez sem adeptos… trata-se de um confronto especial. Porque o Sporting encontra-se numa posição em que não estava desde setembro de 2016 e conhecedor de que a competição só regressará no dia 27 – pelo meio há jogos da Seleção e uma eliminatória da Taça de Portugal – por ali quer continuar mais perto de três semanas.

Como reagirá a formação agora comandada por João Henriques é assunto que merece atenção. Os minhotos continuam à procura do seu equilíbrio, com o novo técnico venceram no Bessa e em Barcelos, mas perderam em casa com o vizinho Sp. Braga, mas nota-se a consolidação do seu jogo, mais assertivo na defesa e com uma matriz de contra-ataque, onde Edwards e Ricardo Quaresma, juntos ou individualmente, são fundamentais. Já o Sporting, estava muito sossegado no seu cantinho e chegou ao primeiro lugar por força da “débacle” benfiquista frente ao Boavista, mas é notório o seu crescimento enquanto equipa, como se viu frente ao Tondela, com João Mário a assumir papel de “maestro”, Pote a confirmar a veia goleadora e Sporar a desgastar a defensiva adversária. É neste quadro, pois, que se vão confrontar as duas equipas, num jogo de resultado imprevisível, mas com muitos sportinguistas a acreditar que a euforia exterior (algo precipitada) não chegará à cabina.

OUTROS CANDIDATOS À ESPREITA

Se a noite de amanhã vai prender muita gente à TV, que dizer de domingo. É que nesse dia entram em ação os outros candidatos – a jornada encerra-se mesmo nesse dia por força dos jogos das seleções -, primeiro o FC Porto, em casa, frente ao Portimonense, onde é claramente favorito e vem de uma exibição conseguida, e com resultado condizente, frente ao Marselha, na Champions, logo depois o Benfica-Sp. Braga, duas equipas com desfechos diferentes na Europa, mas por força desses jogos fisicamente desgastadas. Mantendo-se a tradição, os encarnados estão em boa posição para somar três pontos, mas os minhotos são das equipas que melhor recuperaram na Liga dos desaires nas primeiras duas rondas e estão neste momento em lugar que possibilita a chega à principal competição de clubes do mundo… à frente do campeão nacional.

JORNADA EUROPEIA APENAS SATISFATÓRIA

Desta feita, a ronda europeia esteve muito longe de ser semelhante à anterior. Na Champions, o FC Porto recuperou positivamente – mesmo sem Pepe, e a ele já lá iremos – da derrocada pacense e confirmou ser, juntamente com o Man. City, a segunda melhor equipa do grupo, derrotando o Marselha sem apelo nem agravo. E o 3-0 com que terminou o desafio até acaba por ser lisonjeiro para os gauleses, pois os dragões criaram situações suficientes para chegar à goleada.

Já na Liga Europa, os portugueses não se deram assim tão bem com os britânicos. Na Luz, o Benfica salvou-se da derrota (que seria a primeira em casa nesta competição com Jorge Jesus) mesmo no último minuto, obra da sua nova coqueluche, Darwin Nuñez, depois de ter vivido múltiplos problemas, que começaram com a expulsão de Otamendi, passaram pelo autogolo de Diogo Gonçalves, com o resultado a chegar a 1-3. Porém, com algumas mudanças os derradeiros minutos foram de garra e coração e o empate a três golos até acabou por nem ser mau. Já em Inglaterra, em Leicester, os bracarenses não resistiram e foram goleados pela equipa local por 4-0, um desfecho de todo inesperado apesar do conjunto inglês ter mostrado ser superior. Mesmo assim, e tendo em que conta que tem dois confrontos na Pedreira, o apuramento continua favorável ao conjunto de Carlos Carvalhal.

PEPE RENOVA MAS NÃO AJUDA SELEÇÃO

Aos 38 anos continua insuperável e insubstituível. Daí, o FC Porto ter renovado por mais duas épocas com Pepe, o seu atual capitão. Uma boa notícia em primeiro lugar para o campeão nacional, mas também para a Seleção Nacional, que o defesa continua a defender como se fosse a do seu país de origem. O que se lamenta, devido a lesão, é que o influente futebolista não possa ajudar Portugal nos dois importantes desafios que encerram a fase de apuramento da Liga das Nações, com a França, na Luz, e a Croácia, em Zagreb. Porém, mesmo reconhecendo-se a sua ausência, Fernando Santos está otimista, pois quer chegar à “final four”. Está o selecionador e todos os portugueses… habituados a ganhar com frequência nos últimos tempos.