Opinião

Que a Justiça faça o seu trabalho!

José Manuel Freitas

José Manuel Freitas

Comentador SIC Notícias

Às terças e sextas o futebol marca presença maioritária no Match Point, mas o Desporto em geral terá sempre aqui o seu espaço. Na escrita de José Manuel Freitas.

Ciclicamente somos confrontados com notícias que nos dão conta de buscas (a vários níveis) relacionadas com clubes de futebol – desta vez, e mais uma vez, Benfica, Santa Clara e Sporting. Seja por suspeitas de corrupção, fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais (única situação em que os leões estão envolvidos), recebimento indevido de vantagem ou algumas contratações (e posteriores transferências), que às autoridades, como se diz na gíria, cheiram a esturro. O que quer dizer, de forma simples, que independentemente de alguns entenderem que o “futebol é um mundo à parte” isso não corresponde à realidade. Inequivocamente, porque muitos dos assuntos acima referidos dizem respeito ao comum dos cidadãos.

Porque o Benfica, maior instituição desportiva deste país e sem dúvida uma das marcas mais fortes de Portugal, percebe-se a inquietação de muitos dos seus largos milhares de associados e adeptos por verem sistematicamente o clube envolvido nestas suspeitas, até porque, uma vez que o desenrolar dos processos tem sido moroso (e são vários) por muito que os resultados desportivos sejam favoráveis, e desde o início do ano não têm sido, as dúvidas persistem e enquanto não for tudo esmiuçado, nada feito. Assim, o que se deseja, para clarificação total é que a Justiça, demore o tempo que tiver de demorar, faça o seu trabalho – nem é preciso acentuar que se espera que o faça bem, pois essa é a obrigação que nos é devida – e penalize quem tiver prevaricado ou tenha lucrado com situações proibitivas. Até lá é esperar, com a certeza de que um dia se fará luz sobre situações que a todos nós, colateralmente, nos chegam perto.

LEÃO LÍDER E UM “TAL” IURI MEDEIROS

Enquanto isso, o futebol prossegue o curso possível no quadro de sofrimento que afeta a sociedade – não podia ser de outra forma e o Moreirense-Paços de Ferreira foi adiado, como já havia acontecido com o Sporting-Gil Vicente, e até já se sabe que será jogado a 1 de Dezembro – e com os leões a dominarem na Liga, como já não acontecia há muito, muito tempo, tendo até alargado a vantagem depois da goleada em Guimarães (agora são quatro os pontos de vantagem sobre os que mais diretamente o perseguem), posição em que se manterá até final deste mês (é tempo de Seleção e de Taça de Portugal), por força do triunfo do Sp. Braga em casa do Benfica (realidade que coloca os bracarenses na rota do título) e onde sobressaiu um “tal” Iuri Medeiros.

O atual futebolista do Sp. Braga, açoriano de nascimento, da cidade da Horta, tem 26 anos e chegou ao Sporting com 11 anos aos leões manteve-se ligado até final da época 18/19, altura em que foi definitivamente negociado com os alemães do Nuremberga, que o emprestaram esta época aos minhotos. Nesse percurso verde e branco de 14 temporadas conquistou um título nacional de juniores e a Taça da Liga 17/18, mas apenas alinhou em 11 jogos na principal formação de Alvalade (com Jorge Jesus) tendo estado emprestado, sucessivamente, a Arouca, Moreirense, Boavista, Génova e Legia Varsóvia. Pois bem, Iuri Medeiros tem um jeito especial para marcar aos encarnados: começou por fazê-lo na equipa B leonina, seguiu-se um golo por cada um dos três primeiros emblemas onde rodou, mais o do último domingo. Porque será?

SERÁ DESTA RONALDO?

Não vai haver Liga nos próximos dias, porque está de volta a Seleção para a realização dos dois últimos jogos (mais um “amigável” com a Albânia) da fase de grupos da Taça das Nações, com a França, na Luz, este sábado, e Croácia, em Zagreb, de hoje a oito dias. Confrontos em que se espera esteja de volta CR7, afastado dos anteriores dois jogos devido à Covid19, que tem à sua espera o 100.º triunfo com as cores nacionais e, obviamente, a entrada direta na denominada “final four” da competição.

DOBRADINHA COREANA PARA JOSÉ MORAIS

Lá por fora, o Jeonbuk, clube coreano recentemente vencedor do bicampeonato com a liderança do treinador português José Morais, juntou a esse triunfo a conquista da Taça do país, levando a melhor, novamente sobre o seu grande rival, Ulsan Hyundai. José Morais que ainda será o treinador da equipa até final do ano na Liga dos Campeões da Ásia, mas depois irá à procura de nova aventura. Onde? Para já é segredo.

ANDEBOL PORTUGUÊS EM DESTAQUE

Uma palavra final para a Seleção Nacional de andebol, 6.ª classificada no último Campeonato da Europa, pois nos dois primeiros jogos do Europeu de 2022, a equipa de Paulo Jorge Pereira manteve a “performance” anterior e venceu sem margem para dúvidas Israel e Lituânia. O que quer dizer que hoje, quem diria, Portugal já tem uma grande equipa na modalidade.

► A PÁGINA DO MATCH POINT

  • 1:44