Opinião

Sessão de Cinema: “Away - A Viagem”

João Lopes

João Lopes

Crítico de Cinema

No mundo da animação cinematográfica, os títulos americanos são, obviamente, os mais fortes. Por vezes, porém, surgem surpresas de origens muito diversas: “Away” é um maravilhoso desenho animado produzido na Letónia.

Como bem sabemos, nas últimas duas décadas o mercado dos desenhos animados tem sido dominado por produções dos EUA, a maior parte com ligações directas ou indirectas aos estúdios Disney (incluindo, claro, a Pixar). Ora, mesmo sem negar as maravilhas que daí têm surgido, importa lembrar que a animação cinematográfica sempre teve um mapa geográfico e cultural muito mais alargado, pleno de contrastes criativos.

Um bom exemplo de tal diversidade pode ser o maravilhoso “Away - A Viagem”, de Gints Zilbalodis, título proveniente da Letónia que integrou a lista de candidatos ao Óscar de melhor longa-metragem de animação de 2019 (não tendo obtido a respectiva nomeação), já disponível numa plataforma de streaming. As suas singularidades são tanto mais surpreendentes quanto se trata de uma longa-metragem sem diálogos.

Que acontece, então? Seguimos a aventura de um rapaz que, por razões que nos escapam, está ameaçado por um gigante, estranha figura que parece nascer do cruzamento de um monstro do cinema de terror dos anos 40 com um robot da ficção científica. Em fuga numa moto providencial, a partir de certa altura contando com a companhia de um pássaro amarelo, ele vai atravessar cenários de pura fantasia, incluindo uma “fonte dos sonhos”…

Os resultados distinguem-se por uma elegante ambiência poética gerada por uma produção de invulgar austeridade: em vez de contar com uma equipa de muitas centenas de pessoas (como é o caso das animações provenientes dos grandes estúdios), “Away - A Viagem” resulta de uma espécie de “one-man-show”. Dito de outro modo: o realizador Gints Zibalodis é também autor dos desenhos, responsável pelo argumento e compositor da música. Enfim, uma proeza minimalista que possui o fulgor e o encanto de uma verdadeira fábula cinematográfica.

Filmin

  • 3:09