Opinião

Poderá Jorge Jesus estar em risco?

José Manuel Freitas

José Manuel Freitas

Comentador SIC Notícias

Às terças e sextas o futebol marca presença maioritária no Match Point, mas o Desporto em geral terá sempre aqui o seu espaço. Na escrita de José Manuel Freitas.

A questão que começa a ganhar eco não só nas tertúlias benfiquistas, sem espaço a especulação, tem todo o cabimento: estará o lugar de Jorge Jesus em risco, face à época desapontante de um Benfica que parecia ter tudo para ser denominador e colocar um travão no maior poderio do FC Porto nos últimos anos? Nem mesmo Luís Filipe Vieira, acredito, ainda que só para ele, conseguiria dar tal resposta, mas que há muita gente, não diria descontente, tão só desapontada, disso não restam dúvidas. Mesmo dentro do principal núcleo do universo encarnado.

Quando LFV decidiu apostar todas as fichas no regresso de JJ e construiu uma equipa com futebolistas de renome e com provas dadas (admitamos que não estão na Luz algumas das escolhas do treinador, mas que esta equipa tem elementos de reconhecido gabarito é uma realidade) não passava pela cabeça de ninguém que o Benfica esbanjaria o seu primeiro objetivo (ao final financeiro, também, pois deixaram de entrar nos cofres 40 milhões de euros), o adeus à Liga dos Campeões, que depois seria incapaz de conquistar Supertaça e Taça da Liga e que na principal competição interna estaria na 4.ª posição, a 13 pontos do Sporting, que lidera, com 19 pontos perdidos em 57 possíveis. Para quem prometeu arrasar e jogar o triplo…

É verdade que a Covid abalou ainda mais os alicerces de uma equipa que teimava em impor-se, mas não explica tudo. Nesse sentido, até porque o passado recente provou que na hora de mudar, o Benfica é como os outros clubes, estará Jorge Jesus tão seguro, independentemente de ter mais um ano de contrato e admitir-se que uma rescisão custaria muito dinheiro ao clube? O futebol é momento e, exclusivamente, resultados. Os ecos do descontentamento ainda se ouvem baixinho, mas se a equipa não entra rapidamente nos eixos, e entrar rapidamente nos eixos é posicionar-se em lugar de Champions, ninguém pode garantir que tudo será igual em termos de comando na próxima temporada.

SPORTING SEGUE IMPARÁVEL…

Líder incontestado da Liga, o Sporting não perdeu a possibilidade de se distanciar ainda mais de FC Porto e Benfica, que haviam perdido dois pontos nos confrontos com Boavista e Moreirense, respetivamente. O triunfo frente ao Paços de Ferreira não teve o colorido que se esperava, por mérito, também, dos pacenses, mas o desfecho possibilita aos leões terem uma folgada vantagem sobre portistas (10 pontos), Sp. Braga (11) e encarnados (13).

A questão que se coloca, face à regularidade leonina e à inconsistência, especialmente de dragões e águias, é perceber-se se o Sporting está mesmo na rota do título. Apesar das cautelas sistematicamente enunciadas pelos responsáveis sportinguistas, até porque faltam longos 15 jogos para o termo da competição, a verdade é que se há equipa em rota acelerada na estrada do título é a de Alvalade. Se assim vai continuar, depende mais de si do que propriamente dos rivais, embora deva salientar-se que vêm aí jogos de dificuldade muito elevada, como são as visitas ao Dragão, à Pedreira e à Luz. Mas como pelo meio estes opositores também jogarão entre si… Sim, tendo em conta o que se passa, os leões passaram de candidatos a favoritos à conquista desta Liga. O que lhe possibilitaria colocar ponto final num jejum de 19 anos.

NA EUROPA COM TUDO A GANHAR

Até parece que não houve interregno nas competições europeias, mas houve, e por isso, os oitavos de final da Liga dos Campeões e o 1/16 avos de final da Liga Europa estão aí mesmo ao virar da esquina. Amanhã – como seria com público o regresso de Cristiano Ronaldo ao País que tanto o idolatra e a um palco onde foi feliz com a camisola do Manchester United? -, no Dragão, o FC Porto recebe a Juventus. Reconhecendo-se que a formação transalpina possui um grupo de futebolistas de elevada craveira – além de CR7, também Alex Sandro e Danilo regressam a uma casa onde se afirmaram -, casos, além do português, figura maior da equipa, de Buffon, Bonucci, Ramsey ou Morata, não é dado adquirido que já tenha vencido a eliminatória. Numa noite muito determinada, com todos os jogadores muito concentrados, é de crer que os portistas são capazes de conseguir um resultado que lhes permitia observar o jogo de Turim a olhar para a fase seguinte.

O mesmo se pode dizer dos confrontos Benfica-Arsenal (o de quinta-feira, devido aos constrangimentos impostos pelo governo inglês, levou a UEFA a marcar o jogo para Roma, ao passo que o da próxima semana será no Pireu, na Grécia) e Sp. Braga-RomaPaulo Fonseca está de regresso à Pedreira, ele que conquistou pelos minhotos uma Taça de Portugal. A exemplo da posição assumida relativamente ao desafio da Champions, também entendo que benfiquistas e minhotos têm todas as possibilidades de seguir em frente, muito embora deva aceitar que a tarefa da equipa de Carlos Carvalhal é bem capaz de ser um pouco mais complicada.

ÉPOCA FANTÁSTICA DE ANDRÉ SILVA

Quando se fala em golos, já sabemos que há quatro ou cinco nomes que estão no topo da lista dos melhores marcadores, mas esta época é fundamental juntar-se-lhe mais um nome: o de André Silva, ponta de lança dos alemães do Eintracht Frankfurt, atual terceiro classificado da Bundesliga, em posição de Champions, portanto, para a qual muito têm contribuído os golos do português, nada mais nada menos que 18!

O antigo avançado de FC Porto, Sevilha e Milan, de 25 anos, vive, com toda a certeza, a sua melhor época no estrangeiro, pois no total da época soma 20 remates certeiros e os conseguidos no campeonato fazem dele o segundo melhor artilheiro da competição, tabela esta liderada pelo incontornável Lewandowski, com 25 – os dois goleadores encontram-se sábado, em Frankfurt, em jogo da jornada 22. O que quer dizer, também, que o estado de forma de André Silva é uma ótima notícia para Fernando Santos, numa altura em que se aproxima o regresso à atividade da seleção nacional, que joga nos primeiros dias de março, no Azerbaijão, jogo de apuramento para o Mundial do Catar.

► A PÁGINA DO MATCH POINT