Análise

Avante!: "Criou-se uma espécie de braço-de-ferro em que a racionalidade desapareceu"

A análise de Ricardo Costa.

Foi divulgado esta segunda-feira pela Direção Geral da Saúde o parecer técnico sobre a Festa do Avante!, que se realiza entre 4 e 6 de setembro, no Seixal. Em resposta, o PCP garantiu cumprir a redução da lotação do recinto, onde só vão poder estar 16.563 pessoas.

Numa análise na Edição da Tarde, Ricardo Costa afirmou que, tanto o PCP como a DGS, erraram ao olhar para a realização do evento a partir de um ponto de vista legal e formal. Para o diretor de informação da SIC, as instituições devem dar o exemplo de contenção e tentar minimizar as assimetrias que existem entre entidades e a população em geral, bem como impedir que haja uma politização da pandemia.

Em relação às declarações dos comunistas que dizem estar a ser alvo de um ataque, Ricardo Costa afirma que o partido não está a perceber a perplexidade da população - que foi obrigada a adiar casamentos e a falhar a funerais de familiares para fazer face à pandemia - e que vê agora, numa altura em que os números estão a aumentar novamente, a realização de um evento que irá juntar milhares de pessoas.