Análise

As ilações "muito concretas" que se podem tirar do discurso de Marcelo Rebelo de Sousa

A análise de José Gomes Ferreira ao discurso do Presidente da República na cerimónia do 5 de Outubro.

Entendida como um apelo à convergência, a mensagem do Presidente é lida pelos partidos como um pedido de entendimento na resposta à crise, e para o PS e PSD no desenho do Orçamento do Estado.

Porém, José Gomes Ferreira não entende o discurso de Marcelo Rebelo de Sousa como "um apelo à aprovação do Orçamento do Estado".

"O Presidente não destaca tanto a questão orçamental, nem uma eventual crise política, porque ele já percebeu que deverá haver alguma forma de aprovação ou não impedimento através de abstenção."

José Gomes Ferreira analisa as ilações "muito concretas" que se podem tirar do discurso de Marcelo Rebelo de Sousa.

"O Presidente finalmente percebeu que uma crise sanitária seguida de uma económica está por trás de um risco enorme de uma crise de financiamento do Estado."

Marcelo Rebelo de Sousa "pela primeira vez mostrou-se preocupado com o défice do Estado".

"É a primeira vez num discurso desta dimensão e com esta importância que vejo Marcelo Rebelo de Sousa preocupado com a situação das empresas, desemprego, défice das contas do Estado, Orçamento e situação da dívida pública. Isto é muito significativo."

O Presidente da República "dá [ainda] a entender que não quer um novo confinamento (...), sai deste discurso que ele não quer um novo confinamento".

Veja também: