País

Passos Coelho, novo líder do PSD, convida Rangel e Aguiar-Branco para órgãos nacionais

O presidente eleito do PSD, Pedro Passos Coelho,  disse que conta com os seus adversários Aguiar-Branco e Paulo Rangel para os órgãos nacionais do partido, apontando a unidade interna como a sua primeira preocupação. Foi o concorrente Aguiar-Branco que anunciou no primeiro discurso de derrota da noite o nome do vencedor das directas para a liderança do PSD. Seguiram-se Castanheira Barros e Paulo Rangel que também felicitaram Passos Coelho. (Re)veja aqui o escrutínio minuto a minuto acompanhado pelo Parlamento Global.

"A minha primeira preocupação vai ser a de unir o PSD e estou convencido de que os resultados inequívocos que estão patentes permitirão com certeza - de acordo, de resto, com as declarações que fizeram quer o doutor Paulo Rangel, quer o doutor José Pedro Aguiar-Branco - fazer um caminho de unidade e de coesão interna no PSD" , declarou Pedro Passos Coelho, na sua sede de campanha, em Lisboa.



No início do seu discurso, Passos Coelho contou que já tinha tido "a oportunidade de falar pessoalmente com o doutor Paulo Rangel e também com o doutor José Pedro Aguiar-Branco" , de quem recebeu congratulações.



"Tive a oportunidade de lhes referir que, nesta mesma declaração, não poderia deixar de deixar muito bem vincada a intenção e o propósito de os ver envolvidos na primeira linha da intervenção política no PSD" , acrescentou.



"E tenho a certeza de que obterei da parte de qualquer deles uma resposta positiva para o convite que terei oportunidade de lhes formular até ao Congresso Nacional para que eles possam integrar os órgãos nacionais e possam estar na primeira linha da afirmação política do PSD" , completou.



Quanto ao grupo parlamentar, atualmente liderado por Aguiar-Branco, Passos Coelho considerou que competirá aos deputados escolherem a direção que entenderem.



"Não vou manifestar nenhuma preferência porque tenho a certeza de não deixarei de ter um papel muito cooperante e muito presente com o próximo líder parlamentar que o grupo dos deputados do PSD vier a escolher" , disse.



"Até isso acontecer, não deixarei de contar seguramente com o doutor José Pedro Aguiar-Branco enquanto líder parlamentar para concertar com ele - até que o grupo parlamentar tome outras decisões - a estratégia que o PSD vai desenvolver na Assembleia da República" , acrescentou.



Quanto à sua antecessora na liderança social democrata, Manuela Ferreira Leite, Passos Coelho declarou: "Quero aqui prestar-lhe a minha homenagem reconhecendo o trabalho em que se empenhou e dando-lhe nota de que também ela é um ativo do PSD que espero que continue na primeira linha da intervenção política nacional" .



Questionado se já tinha falado com Manuela Ferreira Leite esta noite, respondeu: "Ainda não tive a oportunidade de falar com a doutora Manuela Ferreira Leite mas a última coisa que desejo é nesta noite estar a criar qualquer incidente sobre essa matéria" .



Passos Coelho com mais de 60 % dos votos



Numa altura em que faltavam apurar cerca de 30 freguesias, Assunção Esteves, do Conselho de Jurisdição do PSD, divulgou os primeiros números oficiais da noite:



Passos Coelho : 61,06 %

Paulo Rangel : 34,37 %

Aguiar-Branco : 3,63 %

Castanheira Barros : 0,23 %



Passos Coelho ouviu o discurso de Aguiar-Branco na sala da sua sede de campanha onde se encontra a comunicação social, rodeado por repórteres de imagem e tendo ao seu lado os apoiantes Marco António Costa, Luís Montenegro e Mira Amaral.



Logo no início do discurso, quando Aguiar-Branco o felicitou pela vitória, Passos Coelho acenou com a cabeça em sinal de agradecimento.



Depois, quando o líder parlamentar do PSD defendeu que não deverá haver excluídos nem ostracizados no partido, Passos Coelho disse: "Não haverá" .



Paulo Rangel também felicitou Pedro Passos Coelho pela vitória "clara e expressiva" nas diretas para a liderança do PSD, prometendo ter uma "atitude de lealdade" e colaborar no "grande projeto social democrata" .



"Terei uma atitude de lealdade" , afirmou o candidato à liderança do PSD, numa discurso onde assumiu a derrota das eleições diretas para a liderança do PSD que decorreram esta sexta feira à noite.



Por sua vez, Castanheira Barros deu da mesma forma os parabéns a Passos Coelho pela sua vitória, adiantando que este será "o seu presidente" e que irá até à sua sede de candidatura para o cumprimentar pessoalmente.



Imagem



  • Branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo. Os riscos da banca angolana em Portugal
    20:49