País

Quase 5.000 consultas nos cuidados primários em Lisboa no fim de semana

Os centros de saúde da região de Lisboa e Vale do Tejo que abriram em horário adicional devido à atividade gripal realizaram 4.877 consultas no último fim de semana, anunciou esta segunda-feira a Administração Regional de Saúde (ARSLVT).

Tendo em conta "o período de inverno e o esperado pico da gripe", o presidente da ARSLVT, Luís Pisco, anunciou na sexta-feira o alargamento dos horários, o que foi aplicado nos 15 Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) da região, sendo que 35 centros de saúde o aplicaram entre segunda e sexta-feira, 47 no sábado e 37 no domingo.

"A procura indica que tem havido bom acolhimento às medidas destinadas a descongestionar as urgências hospitalares", lê-se no comunicado da ARSLVT.

De acordo com os dados da Administração Regional de Saúde, os ACES com maior procura nos dias 6 e 7 de janeiro foram o da Arrábida, com um total de 621 atendimentos, do Oeste Sul, com 563 atendimentos, e o de Loures/Odivelas, com 449 atendimentos.

A ARSLVT indica que aos primeiros sintomas de gripe, como tosse, dores de cabeça, febre, mal-estar e dores musculares, deverá ser contactado o Centro de Contacto do Serviço Nacional de Saúde (SNS 24), através do número 808 24 24 24.

Em comunicado também divulgado esta segunda-feira, o hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) anunciou que abriu mais 71 camas para responder "à necessidade crescente de doentes que precisam de internamento".

"O serviço de urgência de adultos tem atendido cerca de 700 doentes por dia e a taxa de internamento é superior a 10%", acrescenta o gabinete de imprensa do hospital.

De acordo com o comunicado, não há nenhum doente com alta clínica que se mantenha a ocupar uma cama nesta unidade, uma vez que houve "uma rápida resposta das famílias" e da segurança social, além de camas de retaguarda contratadas pelo hospital.

Lusa