País

Porto de Setúbal paralisado 

A segunda vaga de estivadores eventuais do porto de Setúbal aderiu à paralisação total dos 93 trabalhadores precários (em greve há 22 dias) por tempo indeterminado, deixando assim o porto parado.

A adesão ao protesto foi decidida ontem em plenário, com paralisação total ao trabalho e por tempo indeterminado, até que sejam retomadas as negociações entre as empresas e o sindicato para a celebração de um contrato coletivo de trabalho.

"Neste momento temos uma vontade e uma abertura para resolver o problema dos precários (...), embora exista uma discrepância entre sindicatos e empresas. Uma parte propõe que sejam 48 novos contratos, da outra parte 30. Julgo que será possível chegar a acordo", disse a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, na segunda-feira à noite, antes do final da reunião com sindicatos e agentes portuários.