País

Amadeu Guerra substitui Maria José Morgado na procuradoria distrital de Lisboa

O atual diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) vai substituir Maria José Morgado.

O atual diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) vai substituir Maria José Morgado no cargo de procurador-geral Distrital de Lisboa.

"O Conselho Superior do Ministério Público deliberou nomear, em comissão de serviço, para o lugar de procurador-geral distrital de Lisboa o procurador-geral adjunto Amadeu Guerra", confirmou a Procuradoria-geral da República à agência Lusa.

Amadeu Guerra ia terminar o mandato no DCIAP em março de 2019, tendo iniciado funções em 2013, sucedendo a Cândida Almeida. Segundo o jornal online Observador, Amadeu Guerra foi eleito com 12 votos a favor e sete contra.

Recentemente, numa entrevista, Amadeu Guerra disse estar tranquilo quanto ao seu desempenho à frente do DCIAP.

"O trabalho dos últimos seis anos foi muito extenuante, com investigações muito complexas e com elevada exposição pública, situação que exige uma dedicação constante, muitas vezes com prejuízo pessoal e familiar para todos os magistrados do DCIAP. Procurámos responder às expectativas e à pressão do cumprimento dos prazos que, no dia a dia, nos foi colocada", afirmou o magistrado à revista Sábado.

Durante a sua liderança, o DCIAP investigou casos como a "Operação Marquês", "Vistos Gold", o desaparecimento das armas em Tancos, "Operação Aquiles", "Operação Fizz", casos de terrorismo, processo da EDP, processo Monte Branco e o caso BES, entre outros.

Maria José Morgado, de 67 anos, sai da procuradoria-geral Distrital de Lisboa depois de ter pedido a jubilação. A magistrada entrou para o Ministério Público (MP) em 1979 e pouco tempo depois foi colocada no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

Após um longo período nos juízos criminais, Maria José Morgado passou para a direção de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira onde esteve durante dois anos.

A magistrada ocupava o cargo de procuradora-geral distrital de Lisboa desde 2015, tendo substituído a ministra da Justiça Francisca Van Dunem, depois de oito anos como diretora do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa.

Lusa

  • Os populismos crescentes "não são apenas um problema europeu"
    2:01
  • “Vamos a Jogo” acompanhou Luís Filipe Vieira no dia da reconquista
    15:21
  • Visíveis - Ruca
    31:30