País

MAI pede investigação às comunicações e mobilização de meios no acidente em Valongo

OCTÁVIO PASSOS

Relatório periminar da Proteção Civil sobre o acidente que vitimou quatro pessoas em Valongo divulgado esta manhã.

O relatório preliminar da proteção civil aponta para falhas nos procedimentos e vai ser enviado hoje aos ministros da Defesa e do Planeamento para esclarecimento da atuação da Força Aérea e da NAV na queda do helicóptero do INEM.


Em comunicado, o ministério da Administração Interna explica que "perante as conclusões" do relatório preliminar da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), ordenou o envio do mesmo aos ministros da Defesa Nacional e do Planeamento e Infraestruturas "para esclarecimento das circunstâncias da não observância dos procedimentos previstos na Diretiva Operacional n.º 4 - Dispositivo Integrado de Resposta a Acidentes com Aeronaves, pela Força Aérea e pela NAV" - Portugal, responsável pela gestão do tráfego aéreo.


A Diretiva Operacional n. º4, da ANPC, determina que assim que haja conhecimento de um acidente com uma aeronave deve, em primeiro lugar, e o mais rápido possível, informar-se o Centro de Busca e Salvamento da Força Aérea.


O relatório preliminar "ficará disponível durante a manhã" na página da internet da ANPC, adianta o comunicado.


"O Ministro da Administração Interna determinou ainda à ANPC que, em articulação direta com a Força Aérea, a NAV, a PSP, a GNR, a Comissão Distrital de Proteção Civil do Porto e a Câmara Municipal de Valongo, aprofunde as circunstâncias que rodearam a comunicação da ocorrência e a mobilização de meios de socorro visando a plena caracterização dos factos e a apresentação de propostas de correção de procedimentos e normativos aplicáveis", acrescenta a nota do MAI.


O relatório preliminar foi também enviado ao primeiro-ministro, António Costa, e à Procuradoria-Geral da República, que já havia anunciado a abertura de um inquérito para apurar as circunstâncias do acidente.

Lusa