País

TAP recomenda consulta antecipada de estado de voos em Gatwick

Passageiros no aeroporto de Gatwick

Peter Nicholls

O aeroporto britânico foi encerrado devido à presença de drones no espaço aéreo.

A transportadora nacional TAP apelou esta quinta-feira aos seus passageiros que confirmem as suas viagens agendadas para o aeroporto de Gatwick, em Londres, temporariamente encerrado e onde decorre uma investigação devido à presença de drones.

"Pedimos aos clientes com voos agendados para este aeroporto [Gatwick] que, antes de se deslocarem para o aeroporto, verifiquem junto da TAP as informações disponíveis", segundo a informação da companhia, que garantiu que está a "realizar todos os esforços para minimizar o impacto" da suspensão da operação.

Segundo a última informação disponibilizada no site do aeroporto, localizado a cerca de 40 quilómetros a sul da capital britânica, todas as partidas e chegadas continuam suspensas enquanto são "investigados os relatórios de drones (aeronaves não tripuladas) que voaram próximo" da infraestrutura.

"Por favor, não se desloque para Gatwick sem verificar o estado do seu voo com a sua transportadora, já que haverá cancelamentos e atrasos significativos durante o dia de hoje", lê-se na página do aeroporto, que pediu desculpas a todos os passageiros e sublinhou que a "segurança" de passageiros e funcionários é a sua prioridade.

As aterragens e descolagens foram suspensas às 21h00 de quarta-feira, depois de dois drones terem sido avistados perto da pista, que foi reaberta por cerca de 45 minutos na madrugada de hoje.

Muitas aeronaves foram desviadas para outros aeroportos, incluindo Paris e Amesterdão, enquanto as autoridades aeroportuárias pediram aos passageiros que contactassem as suas companhias aéreas para se informarem sobre a situação dos voos.

"Após informações sobre a presença de dois drones sobrevoando a pista do aeroporto de Gatwick por volta das 21:00, a pista foi encerrada das 21:03 de quarta-feira às 03h01 de quinta-feira", lê-se num comunicado divulgado pelo aeroporto.

"Infelizmente, outra observação de drones nas proximidades do aeroporto forçou o encerramento da pista, novamente, por volta das 03:45", acrescentou a nota.

Garantias para os passageiros

O aeroporto já garantiu estar a trabalhar com as companhias aéreas para "oferecer aos passageiros estadia em hotéis" ou alternativas de viagem.

Estima-se que 2,9 milhões de pessoas passem por este aeroporto durante a atual temporada de férias.

O responsável pela segurança aérea da Associação Britânica de Pilotos (BALPA, em inglês), Rob Hunter, lembrou que os drones não são apenas brinquedos e que há "consequências catastróficas" se chocarem com um avião.

"O registo destes drones em Gatwick é outra prova sobre a necessidade de leis mais duras para manter os drones longe dos aviões", segundo Hunter, em declarações à imprensa local.

A secretária britânica de Estado de Aviação, Liz Sugg, declarou hoje à BBC que os "drones voaram ilegalmente e os operadores agiram de forma incrivelmente irresponsável e podem enfrentar até cinco anos de prisão".

LUSA