País

Fim do 2º. ciclo do ensino básico volta ao Parlamento

A reorganização dos ciclos de ensino vai ser debatida no Parlamento por proposta do CDS e do PCP.

O Parlamento vai voltar a discutir a reorganização dos ciclos do ensino por via de
dois projetos de resolução entregues este mês pelo CDS e pelo PCP que recomendam "um amplo debate nacional", avança o jornal Público.

O Governo diz que não avança com nenhuma reforma até ao final da legislatura, porque tal implicauma revisão da Lei de Bases do Sistema Educativo, datada de 1986.

A pertinência e eficácia dos três ciclos no ensino básico têm sido questionadas há já vários anos.

A presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE), Maria Emília Brederode Santos defende que deveria ser repensada a existência do 2.º ciclo, lembrando que se trata de uma "originalidade portuguesa" e que "não é uma boa prática" tendo em conta o elevado número de reprovações.

O relatório Estado da Educação 2017 alerta para as dificuldades dos alunos nos anos de transição, apontando o dedo para o 2.º ciclo, que é composto por "um ano para entrar e outro para sair".

No entanto, o Ministro da Educação entende que os números expressos no relatório não espelham essa relação: "A reprovação do 2.º ciclo estava em 12,5% (2013) e agora está em 5,8%", afirmou Tiago Brandão Rodrigues.

Brandão Rodrigues é apologista de "mudanças paulatinas", defendendo que qualquer mudança tem de ser primeiro experimentada no terreno.

  • Visíveis - Ruca
    31:30
  • Um presidente também chora...
    0:21