País

Ministro considera "importantíssimo" exportar carne de porco para a China

NUNO VEIGA

As exportações de carne de porco portuguesa para a China vão movimentar um volume de negócios de 100 milhões de euros este ano.

O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, considerou esta quarta-feira "um passo importantíssimo" para Portugal o início da exportação de carne de porco nacional para a China, que é "simplesmente o maior mercado do mundo".

"É um passo importantíssimo para o setor, já que se trata, nesta primeira fase, de uma exportação que se estima em cerca de 100 milhões de euros por ano", realçou o ministro aos jornalistas, em Reguengos de Monsaraz (Évora).

Esta exportação, que foi hoje iniciada, com a saída do matadouro da Maporal, em Reguengos de Monsaraz, dos primeiros 10 contentores com carne suína para a China, representa para os produtores portugueses "uma alternativa muito importante", segundo Capoulas Santos.

Os suinicultores portugueses "deixam assim de ficar dependentes do preço da superpotência suinícola, que é a Espanha, que está aqui ao lado", realçou o ministro, garantindo que a exportação para o mercado chinês representa "uma afirmação mais da internacionalização da agricultura" nacional.

NUNO VEIGA

A abertura do mercado da China à carne de porco portuguesa, segundo o governante, é o resultado de "um trabalho conjunto" que envolveu a produção, as autoridades de ambos os países e foi desenvolvido ainda ao nível diplomático.

Trabalho esse "coroado de êxito e que permite agora a Portugal ter acesso a este importante mercado, que é simplesmente o maior mercado do mundo", no qual consegue colocar "um produto de excelência, que é a carne de porco portuguesa, que se diferencia pela cor" e "pelo sabor", frisou.

O ministro lembrou ainda que, no início deste Governo liderado pelo PS, este setor enfrentava uma das suas "maiores crises", pelo que a abertura do mercado chinês, que sucede às aberturas dos mercados da Índia e da Coreia, "demonstra que, quando se procuram alternativas" e "soluções, não há problemas insuperáveis".

"Hoje é um dia muito importante para Portugal, sobretudo com o bom presságio de estarmos a poucos dias do ano novo chinês, que é precisamente o Ano do Porco", sublinhou Capoulas Santos.

Também o embaixador da China em Portugal, Cai Run, disse assistir com "grande satisfação" à "saída dos primeiros contentores com carne suína de Portugal" para o seu país e salientou tratar-se de "um grande passo" para disponibilizar "produtos agrícolas de boa qualidade" no mercado chinês.

"2019 é o Ano do Porco e, neste ano, a exportação de carne suína de Portugal vai chegar ao mercado chinês. É um bom começo" e "marca o resultado importante da cooperação" entre os dois países", congratulou-se o embaixador.

Segundo o ministro Capoulas Santos, Portugal "está em negociação com as autoridades chinesas" para a abertura do mercado daquele país para "algumas frutas nacionais", sendo que "o processo mais adiantado é o das uvas", mas existindo também conversações sobre a fileira das peras e maçãs.

Das instalações industriais da Maporal saíram hoje 10 contentores com as primeiras 270 toneladas de carne de porco, no valor de um milhão de euros, "rumo" à China, passando pelo Porto de Sines.

A província chinesa de Hunan, que representa um mercado potencial de 73 milhões de habitantes, é o destino final dos contentores, que aí devem chegar dentro de aproximadamente um mês.

O acordo relativo à carne de porco portuguesa foi celebrado com o chinês ACME Group, ficando os portugueses ICM, a AGP Meat e Montalva responsáveis pela exportação.

NUNO VEIGA

As exportações de carne de porco portuguesa para a China vão movimentar um volume de negócios de 100 milhões de euros este ano e de 200 milhões de euros em 2020.

Lusa