País

Irmãs acusadas da morte de bebé condenadas por homicídio qualificado

A mãe da recém-nascida foi condenada a 18 anos e três meses de prisão.

As irmãs gémeas acusadas da morte de uma recém-nascida em Corroios foram esta terça-feira condenadas por homicídio qualificado e profanação de cadáver na forma tentada.

Rafaela Cupertino, a mãe da bebé, foi condenada, em cúmulo jurídico, a 18 anos e três meses de prisão. Já a irmã gémea, Inês Cupertino, considerada co-autora do crime, foi condenada a 15 anos e três meses de prisão.

Segundo a acusação, as mulheres de 25 anos agiram de forma premeditada ao tentarem asfixiar a bebé, acabando depois por esfaquear a criança até à morte. O corpo da criança foi encontrado num saco de plástico num apartamento, em Corroios, no Seixal, em abril de 2018.

Na altura do crime, a Polícia Judiciária disse que "na sequência do parto de uma menina, a progenitora, com a colaboração da irmã gémea, golpeou a recém-nascida com uma arma branca, provocando-lhe morte imediata".

Mãe e tia confessaram que mataram a recém-nascida

Durante as alegações finais, o Ministério Público pediu a pena máxima de 25 anos de prisão para as gémeas. O advogado de defesa da mãe da bebé alega que esta agiu num quadro depressivo e em desespero.