País

Central solar fotovoltaica avança este ano no concelho de Alandroal

Segundo o presidente da Câmara de Évora, o projeto visa complementar as "outras estratégias de desenvolvimento sustentado" da autarquia.

Uma central solar fotovoltaica vai começar a ser construída este ano no concelho de Alandroal, no distrito de Évora, num investimento de 15 milhões de euros, revelou hoje à agência Lusa o presidente do município.

A Central Freixial, com "uma potência instalada de 19 megawatts (MW)", vai ocupar "uma área de 40 hectares" e é promovida pela empresa Freixial Renováveis, adiantou o presidente da Câmara de Alandroal, João Grilo.

Segundo o autarca alentejano, a empresa, de capitais portugueses e com sede em Alandroal, já "obteve o licenciamento" da futura central junto da Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG), culminando um processo que se prolongou no "último ano e meio".

"O investimento total será na ordem do 15 milhões de euros", frisou o presidente do município, indicando que a herdade onde vai "nascer" o projeto, o primeiro do género no concelho, "já foi adquirida pela empresa".

João Grilo previu que a central solar fotovoltaica possa começar a ser construída este ano e que a empreitada fique concluída no prazo de seis meses, apontando a sua entrada em funcionamento para 2020.

"Além de ser um projeto que encaixa numa estratégia de preparação para o novo paradigma energético, traz também a possibilidade de emprego para as pessoas do concelho, sobretudo, durante a fase da construção, uma vez que, depois, na operação, o número de emprego fixos não é muito elevado", disse.

O autarca antecipou "um aumento das receitas de impostos" para o município com a instalação da central no concelho, notando que "a estimativa de derrama a pagar por esta empresa duplica a receita" deste imposto em relação ao valor cobrado atualmente.

"Temos mais duas ou três intenções em estudo e são centrais que ocupam terrenos com pouca aptidão agrícola e fora das zonas de proteção, o que significa que, num concelho como o nosso, com 540 quilómetros quadrados e uma baixíssima densidade populacional, é relativamente fácil encontrar estes espaços", afirmou.

O presidente da câmara municipal realçou que o projeto está "plenamente integrado" na estratégia da autarquia e "é complementar às outras estratégias de desenvolvimento sustentado, associadas ao turismo e património".

Lusa