País

Nove detidos em operação de fiscalização a pirotecnias

As autoridades estão a investigar as empresas que fabricam material pirotécnico.

Nove pessoas foram detidas na operação de fiscalização da PSP dirigida a pirotecnias. A ação decorre em várias localidades do continente e da Madeira, e já se realizou também no ano passado, pouco antes da Páscoa.

As autoridades tinham sete mandados de denteção, todos cumpridos, mas detiveram duas outras pessoas em flagrante delito.

Em 2018, a "Operação Firework", como é designada, incidiu sobre residências de pessoas que trabalham para pirotecnia e fazem lançamento de fogo de artifício. Este ano, visa as empresas onde são fabricados os produtos.

Os crimes

Em causa estão suspeitas de tráfico de produtos explosivos, detenção ilegal de artigos pirotécnicos e falsificação de documentos. A operação está a decorrer nos distritos do Porto, Braga, Viana do Castelo e Funchal.

As buscas começaram às 07:00 em domicílios e algumas horas depois, pelas 09:00, em empresas. Na operação participam 50 elementos do departamento de armas e explosivos da Direção Nacional da PSP, do Comando Metropolitano do Porto e do Comando Regional da Madeira.

Os detidos vão ser presentes a juiz na sexta-feira para aplicação de medidas de coação.

Todo o material encontrado vai ser apreendido e transportado para o paiol da Unidade Especial de Polícia, em Lisboa.

A investigação a este tipo de indústria teve início há dois anos, após uma denúncia de armazenamento ilegal de produtos pirotécnicos na Madeira.

PSP alerta para os perigos do material pirotécnico

O Superintende da PSP Pedro Moura diz que o material apreendido representa um grande perigo para a saúde pública.