País

Os portugueses estão a casar mais

Gleb Garanich

Os dados são relativos a 2018.

O número de casamentos atingiu em 2018 o valor mais elevado dos últimos seis anos, totalizando 34.637, dos quais 607 entre pessoas do mesmo sexo, segundo as "Estatísticas Vitais" do Instituto Nacional de Estatística (INE) hoje divulgadas.

Relativamente a 2017, ano em que se celebraram 33.634 casamentos, observou-se um aumento de 3% em 2018, o que se traduziu em mais 1.003 casamentos.

Também se registou um aumento no número de casamentos entre pessoas do mesmo sexo: 607 em 2018 contra 523 em 2017, referem os dados do INE, precisando que 342 casamentos foram entre homens e 265 entre mulheres (282 e 241, respetivamente, em 2017).

Analisando o período 2010-2018, observa-se que o maior número de casamentos se registou em 2010 (39.993), tendo decrescido depois até 2014 (31.478).

Desde 2015 que a tendência do número de casamentos tem sido de aumento, sublinha o INE.

Mais de metade dos cônjugues já dividiam casa antes do casamento

Em mais de metade dos casamentos realizados em 2018, os nubentes possuíam residência anterior comum (20.697), uma situação que tem vindo a aumentar significativamente nos últimos anos, passando de 44,2% em 2010 para 59,8% em 2018.

Em 2018, 54,1% dos casamentos (18.724) realizaram-se nos meses de verão (entre junho e setembro), sendo agosto o mês com maior frequência (5.265).

Entre 2010 e 2018, agosto foi sempre o mês com mais casamentos, ao contrário de fevereiro que foi sempre o mês com menor número de casamentos.

Do total de casamentos entre pessoas de sexo oposto, 32,5% (11.043) foram celebrados pelo rito católico, 67,1% (22.826) foram realizados só na forma civil e 0,5% (161) segundo outras formas religiosas, adiantam os dados.

Segundo o INE, a proporção de casamentos apenas civis aumentou 1,3 pontos percentuais (p.p.) relativamente ao ano anterior e 9,2 p.p. por comparação com 2010.

A proporção de casamentos católicos diminuiu 1,2 p.p. em relação ao ano anterior e 9,6 p.p. em relação a 2010.

As estatísticas demográficas indicam ainda que, em 2018, ocorreram 46.002 dissoluções de casamento por morte do cônjuge, de que resultaram 13.092 viúvos e 32.910 viúvas.

"A dissolução do casamento por morte do cônjuge afeta sobretudo as mulheres devido, em particular, à maior esperança de vida feminina", afirma o INE.
Lusa