País

Debate sobre diploma dos professores marcado por troca de acusações

Debate sobre diploma dos professores marcado por troca de acusações

Sem surpresas, o Parlamento chumbou o diploma sobre a contabilização do tempo de serviço dos professores.

O debate contou com troca de acusações entre a esquerda e a direita.

A Assembleia da República rejeitou esta sexta-feira, em plenário, todas as normas propostas pelo PSD e CDS-PP que introduziam condicionantes financeiras à devolução integral do tempo de serviço congelado aos professores.

As normas, que já tinham sido chumbadas na Comissão de Educação na semana passada, foram avocadas para plenário por PSD e CDS-PP e mereceram votos contra de PS, BE, PCP e PEV, a abstenção do PAN e votos favoráveis das bancadas proponentes.

O resultado da votação evitou assim a possível demissão do Governo, como tinha anunciado o primeiro-ministro, António Costa, que voltou a falar ao país esta sexta-feira para classificar o chumbo como uma “vitória da responsabilidade”.

A crise política nacional que se criou tem intensificado as tensões entre PS e PSD. Entretanto, o líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, veio desdramatizar os episódios, classificando-os como “democráticos”. Já o líder do partido, Rui Rio, contrariou o primeiro-ministro dizendo que o chumbo foi uma “derrota da responsabilidade”.

O Sindicato Independente de Professores e Educadores (SIPE) já fez saber que reunirá na segunda-feira a direção nacional para decidir as próximas medidas a tomar, após o chumbo da recuperação integral do período de congelamento das carreiras.

  • “A espera” de uma mãe e uma luta que dura há 10 anos
    22:00