País

"Situação anómala" de águas-vivas e caravelas-portuguesas na Costa de Caparica

Administração Oceânica e Atmosférica dos EUA

Junta alerta os banhistas sobre cuidados a ter.

O aparecimento de águas-vivas e caravelas-portuguesas nas praias da Costa de Caparica, no concelho de Almada, levou a junta de freguesia a alertar os banhistas sobre cuidados a ter, enquanto a autoridade marítima acompanha o fenómeno.

Segundo explicou à Lusa o presidente da Junta de Freguesia da Costa de Caparica, José Dias Martins, a autarquia foi informada do "aparecimento no areal e espelho de água" da frente marítima entre a Cova do Vapor e a Fonte da Telha de "águas-vivas [alforrecas] e caravelas-portuguesas".

"Vamos ter uma situação anómala", admitiu o autarca, com base numa informação da Capitania do Porto de Lisboa, para a ocorrência de "uma grande quantidade" de organismos marinhos do tipo da caravela-portuguesa ("Physalia physalis"), dotadas de células urticantes, em particular nos seus tentáculos.

Perante o aviso das autoridades marítimas, e face ao previsto aumento da temperatura durante o fim de semana, José Dias Martins adiantou que os serviços de salubridade da Câmara de Almada vão efetuar "um reforço da limpeza do areal para recolher o máximo possível de organismos que estejam na praia".

Embora a época balnear tenha início oficialmente em 15 de maio, o presidente da junta explicou que, além do reforço da limpeza, os apoios de praia que já possuam nadadores-salvadores vão hastear a bandeira vermelha, para proibir banhos, caso seja detetada a presença deste tipo de organismos, muito comuns nos Açores e na Madeira.

Um aviso à população, publicado pela junta de freguesia na rede social Facebook, remete para os cuidados a ter em caso de contacto, incluindo picadelas, com este tipo de organismos gelatinosos nas praias, como a medusa (ou alforreca) e a caravela-portuguesa, divulgados na página do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).O comandante Fernando Pereira da Fonseca, da Autoridade Marítima Portuguesa, confirmou à Lusa que foram detetadas águas-vivas e caravelas-portuguesas principalmente na Costa de Caparica e alguns exemplares nas praias de Carcavelos e de São Pedro do Estoril, no concelho de Cascais.

O porta-voz da Autoridade Marítima salientou, no entanto, que o avistamento nas praias de Cascais foi apenas de "dois ou três exemplares", que podem ter sido arrastados por influência dos ventos e correntes, sendo até ao momento enquadrados como um "fenómeno de natureza esporádica".

De acordo com Pereira da Fonseca, a Autoridade Marítima está a acompanhar a evolução da situação e, caso se confirme o risco acrescido de aumento da presença destes organismos, poderá emitir ainda hoje um aviso para as zonas afetadas.

As previsões meteorológicas apontam para um forte aumento da temperatura até segunda-feira no continente, podendo no domingo ser superior a 30 graus e chegar mesmo a máximos entre os 35 e os 37 graus no Vale do Tejo e Alentejo, informou o IPMA.

Lusa