País

Governo ordena inspeção sobre acusações de dados falseados no Hospital de Cascais

Um grupo de antigos e atuais profissionais do Hospital de Cascais acusa a administração de falsear resultados clínicos e algoritmos do sistema de triagem da urgência para aumentar as receitas que são pagas à parceria público-privada.

O secretário de Estado Adjunto da Saúde determinou esta terça-feira a abertura de um processo de inspeção, depois de uma reportagem da SIC dar conta que o Hospital de Cascais é acusado de alterar os resultados clínicos e algoritmos da triagem da urgência.

"Face às denúncias relatadas na reportagem da SIC, o secretário de Estado Adjunto da Saúde, Francisco Ramos, determinou à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo a abertura de um processo de inspeção de forma ao cabal esclarecimento destas matérias", indica uma resposta do Ministério enviada à agência Lusa.

O Ministério acrescenta que "acompanha em permanência a execução dos contratos-programa das Parcerias Público-Privadas na Saúde, através da respetiva Administração Regional de Saúde (ARS), que procede a auditorias de forma sistemática, regular e permanente".

O objetivo seria aumentar as receitas que a ARS paga à parceria público-privada entregue ao grupo Lusíadas Saúde.

O hospital já negou o envolvimento no falseamento de resultados. Através de um comunicado enviado esta terça-feira de manhã às redações, o grupo Lusíadas adiantou que vai averiguar a veracidade das denúnciar feitas na reportagem da SIC.

Também esta manhã, o grupo parlamentar do PCP pediu a audição urgente de várias entidades, como a Inspeção Geral de Atividades em Saúde, o Tribunal de Contas e a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

  • António Costa desvaloriza sondagens favoráveis para o PS
    2:51