País

Maior exercício de proteção civil em Portugal começa hoje

No total vão estar envolvidos 22 municípios que vão ter 60 cenários diferentes para testar a capacidade das respostas local, nacional e internacional, segundo a ANEPC.

Mais de 3.600 operacionais, 150 dos quais de cinco países europeus, e 2.200 figurantes vão participar, a partir de hoje, no maior exercício de proteção civil realizado em Portugal.

Organizado pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), com a colaboração da Direção-Geral da Autoridade Marítima e cofinanciado em 80% pela União Europeia, o exercício europeu de proteção civil Cascade’19 tem um custo de 1,3 milhões de euros e decorre entre hoje e sábado.

Patrícia Gaspar, 2ª Comandante Nacional de Proteção Civil, deu mais informações sobre este exercício na Edição da Manhã.

O exercício realiza-se nos distritos de Aveiro, Évora, Lisboa e Setúbal e conta com a participação de cerca de 150 operacionais de Espanha, Bélgica, Alemanha, Croácia e França.

O ponto de partida para este exercício europeu é o registo de condições meteorológicas adversas, como precipitação muito intensa no distrito de Aveiro, e um evento sísmico que afeta os distritos de Évora, Lisboa e Setúbal, desencadeiam uma série de ocorrências em cascata, como cheias, poluição marítima, ruturas de barragens, acidentes químicos, colapso de estruturas, acidentes ferroviários e rodoviários, e incêndios urbanos.

Estas ocorrências têm como consequências danos materiais avultados e um número significativo de vítimas mortais.

Objetivos do CASCADE’19

Segundo a ANEPC, o CASCADE’19 visa treinar a resposta internacional na sequência do acionamento do Mecanismo de Proteção Civil da União Europeia e, simultaneamente, a resposta interna a emergências de elevada complexidade.

O exercício será objeto de avaliação por parte de um conjunto de observadores e avaliadores nacionais e estrangeiros como o objetivo de identificar as boas práticas, falhas e constrangimentos, e melhorar aos diversos níveis os processos de gestão das emergências.

O exercício vai permitir aprovar uma diretiva operacional nacional para acolhimento de assistência internacional.

Durante o dia de hoje vai decorrer a modalidade de contexto de sala de operações, realizando-se a movimentação real de meios de proteção e socorro entre quarta-feira e sexta-feira, e no último dia vai decorrer um seminário de apresentação das primeiras conclusões do exercício.

Mais de 20 entidades portugueses vão estar envolvidas no CASCADE’19, que tem um website dedicado - www.cascade2019.pt.

Lusa

  • Há quem espere mais de um ano para conseguir vaga no SEF
    5:06
  • “Este despacho não é sobre casas de banho, é sobre pessoas”
    13:47