País

Três hélis já receberam visto mas vão continuar parados

O Governo já procedeu também a ajustes diretos para a contratação de 16 aeronaves.

O tribunal de contas visou três hélis do Estado no contrato de operação que custou cerca de 12 milhões de euros e que marca a estreia da Força Aérea na gestão dos meios aéreos de combate aos fogos.

No entanto, as aeronaves vão continuar paradas devido a uma providência cautelar com efeitos suspensivos interposta pelo terceiro classificado do concurso.

O Presidente da Proteção Civil garante que, apesar dos meios aéreos não estarem todos disponíveis, a capacidade de resposta tem sido suficiente.

O dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais é reforçado a partir do próximo mês, estando previstos 60 meios dos quais apenas 23 estão aptos.