País

Governo desenvolve programa para combater violência contra os profissionais de saúde

Violência contra os profissionais de saúde é considerada um problema emergente para a Organização Mundial de Saúde.

O Ministério da Saúde desenvolveu, em parceria com as Finanças, um projeto para combater a violência contra os profissionais de saúde, que será alargado a vários pontos do país, foi anunciado esta sexta-feira.

Segundo um comunicado do Governo, este projeto avançou enquanto piloto no ACES Amadora - Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados da Brandoa e Unidade de Saúde Familiar Amato Lusitano - e no Hospital Fernando da Fonseca (Amadora-Sintra).

Nestas unidades foram identificados profissionais capazes de mobilizar pessoas (gestores de projeto) que fizeram um diagnóstico à situação e estão a trabalhar com os profissionais de saúde para encontrar soluções inovadoras para o problema.

De acordo com a nota, o grupo de participantes abrangeu, entre outros, profissionais que já experienciaram direta ou indiretamente o problema. Os envolvidos trabalharam ao longo de três sessões para propor soluções inovadoras para o problema, que serão agora testadas no terreno.

Entre as soluções propostas contam-se ações de proximidade com a comunidade, formação, alterações na sinalética, alterações de equipamentos e nos edifícios, "botões de pânico" ou campanhas de informação.

Como resultado desta iniciativa, três projetos foram submetidos a candidatura ao Sistema de Incentivos à Inovação na Gestão Pública (SIIGeP), prevendo-se a sua aplicação ainda este ano e a sua generalização a outros pontos do país.

Raquel Duarte, secretária de Estado da Saúde, congratula-se com os resultados obtidos:

"Este problema preocupava-nos há algum tempo. Por isso, estamos a trabalhar no terreno com os profissionais de saúde para encontrar soluções que vão ao encontro das necessidades identificadas.

"O SIIGeP foi criado pelo Governo no final do 1.º semestre de 2018 com o objetivo de estimular práticas inovadoras na gestão pública nos domínios da valorização dos recursos humanos, no desenvolvimento de modelos de gestão ou da melhoria dos ambientes de trabalho, onde o presente projeto se enquadra.

A notificação de casos de violência contra os profissionais de saúde tem aumentado nos últimos anos, fruto, em parte, da maior sensibilização para a notificação.

Foram registadas 4.639 notificações desde o início do sistema até ao final do 1.º trimestre de 2019 (383 no último período).

A violência contra os profissionais de saúde é considerada um problema emergente para a Organização Mundial de Saúde, sendo uma realidade não apenas em Portugal, mas em todo o mundo, razão pela qual estão a ser tomadas medidas no sentido de a combater.

Lusa