País

Sindicatos de enfermeiros admitem regresso à greve perante "impasse negocial"

Yuriko Nakao

Sindicatos e representantes dos ministérios da Saúde e das Finanças e dos hospitais EPE reuniram esta quinta-feira.

Os sindicatos que fazem parte da Federação Nacional dos Sindicatos dos Enfermeiros (FENSE) admitem voltar à greve após uma reunião, esta quinta-feira, com representantes dos ministérios da Saúde e das Finanças e dos hospitais EPE ter resultado num "impasse".

José Azevedo, presidente do Sindicato dos Enfermeiros, que integra a FENSE com o Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem, disse à Lusa que a reunião de hoje para negociar a contratação coletiva resultou num "impasse", sem que as reivindicações sindicais tivessem tido o acolhimento desejado.

As partes, disse José Azevedo, voltam a reunir-se em 19 de junho, já depois de os sindicatos entregarem uma última proposta que, caso não seja aceite, levará muito provavelmente os enfermeiros a fazer greve e a encetar outras formas de luta.

"Foi uma reunião cansativa, mas pouco produtiva", declarou José Azevedo, sublinhando que a reunião de dia 19 será decisiva e uma oportunidade de evitar a greve.

O sindicalista lembrou que a negociação do acordo coletivo arrasta-se desde agosto de 2017 e que o Governo, em final de mandato, ainda não conseguiu chegar a acordo com os enfermeiros.

Lusa

  • A vila onde cabe o mundo
    9:35