País

Chumbadas alterações ao Conselho Superior do Ministério Público

Parlamento chumbou as mudanças em sede de especialidade.

O Parlamento chumbou esta quarta-feira a entrada de membros eleitos pelo Parlamento no Conselho Superior do Ministério Público.

PS e PSD apresentaram propostas nesse sentido mas não houve entendimento entre os dois partidos sobre a forma de o fazer. Já Bloco de Esquerda, PCP e CDS votaram contra.

PCP ACUSA PS E PSD DE QUERER INTERFERÊNCIA POLÍTICA

O PS queria que os magistrados estivessem em maioria no Conselho e o PSD propunha que as personalidades, escolhidas no Parlamento, tivessem uma representação maior.

Durante a discussão das propostas, o PCP acusou o PS e o PSD de quererem interferir politicamente em processos judiciais.

Os socialistas rejeitaram a crítica, afirmando que as declarações dos comunistas são calúnias e revelam ignorância.

MAGISTRADOS FALAM EM TENTATIVA DE CONTROLO

O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público considera as alterações tentativas de controlo político do Ministério Público e, por isso, os magistrados iniciaram esta quarta-feira uma greve de três dias.

Em conferência de imprensa em Lisboa, o presidente do Sindicato, António Ventinhas, afirmou que os magistrados estão mobilizados contra as propostas de alteração do Estatuto do Ministério Público do PS e PSD.

AS CRÍTICAS DE JOANA MARQUES VIDAL

As alterações mereceram também duras críticas, sobretudo da antiga procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal, que disse que a autonomia do organismo seria posta em causa com o avanço da proposta.

  • A saga do prédio Coutinho
    6:43
  • Cepas da Serra
    10:16
  • "À descoberta com..." Inês Castel-Branco na Tailândia 
    3:14