País

Mais 93 mil novas pensões atribuídas em 7 meses

Jose Manuel Ribeiro

Segundo o Governo só em junho foram pagas mais de 21 mil novas pensões, um aumento de 67% face a maio de 2018.

Nos primeiros sete meses deste ano foram atribuídas 93 mil pensões, anunciou hoje o ministro do Trabalho, no parlamento, adiantando que só em junho foram pagas "mais de" 21 mil novas pensões, um aumento de 67% face a maio de 2018.

Vieira da Silva, que falava na comissão do Trabalho e da Segurança Social, disse ainda que as pensões pagas em junho representam aumentos de 60% face a maio de 2015 e de 172% face às novas pensões em maio de 2014.

Acompanhado da secretária de Estado da Segurança Social e da Inclusão, Ana Sofia Antunes, o governante disse ainda, quanto à evolução das pensões em 2019, que se regista uma "tendência fortemente decrescente" dos requerimentos pendentes com 90 dias ou mais.

Entre fevereiro e junho, segundo Vieira da Silva, verificou-se uma redução de 31,6% dos requerimentos pendentes, tendo os resultados sido influenciados pelas mudanças com vista à centralização dos serviços do Instituto da Segurança Social.

O ministro salientou o reforço de recursos humanos na Segurança Social, através de procedimentos concursais e do concurso externo à Administração Pública para 200 funcionários, 150 assistentes técnicos e 50 técnicos superiores, aberto no ano passado.

A resposta dos serviços "é mais alta do que nos últimos anos", disse Vieira da Silva aos deputados, defendendo que "neste momento o sistema recuperou a capacidade".

Média de mais de 880 processos concluídos por dia

O Centro Nacional de Pensões conclui por dia 883 processos de atribuição de pensões, em média, segundo dados divulgados hoje no parlamento pelo ministro do Trabalho e da Segurança Social.

O governante disse que, este ano, até hoje se registaram mais 106 mil processos concluídos.

Em maio deste ano, segundo os mesmo dados, foram concluídos mais de 28.400 processos de requerimentos de pensões, um aumento de 82% face ao mesmo mês de 2018 e de 101% em comparação com maio de 2015.

Mostrando um quadro que relaciona os recursos humanos do Centro Nacional de Pensões com o número de processos concluídos, Vieira da Silva defendeu que "a capacidade" de pagamento de novas pensões atingiu "valores muito significativos" no primeiro semestre deste ano, em resultado de um aumento "significativo" da produtividade desses funcionários públicos.

A vinda do ministro à Assembleia da República acontece na sequência de dois requerimentos apresentados pelo grupo parlamentar do PSD para esclarecimentos sobre as demoras na atribuição das pensões, que foram motivo de várias queixas em 2018 à Provedoria de Justiça.

Com Lusa

  • Cepas da Serra
    10:16
  • "À descoberta com..." Inês Castel-Branco na Tailândia 
    3:14