País

Fundação Champalimaud "não cedeu a exigência de atacantes"

A fundação foi ontem alvo de um ataque informático mas garante que a privacidade dos doentes não foi violada.

A Fundação Champalimaud foi ontem alvo de um ataque informático, mas conseguiu ultrapassar a situação sem ceder a qualquer exigência dos atacantes, divulgou a instituição.

O consultor de comunicação da fundação, Vitor Cunha, disse ontem à noite à Lusa que o ataque se tinha iniciado cerca de 48 horas antes e que a instituição "não cedeu a qualquer exigência dos atacantes".

De acordo com a nota, "numa atuação conjunta com apoio da Altice Portugal, que para o efeito disponibilizou todos os seus meios técnicos e operacionais, foi possível ultrapassar a situação e garantir de imediato o funcionamento da instituição praticamente na sua plenitude".

O comunicado referiu ainda que a situação foi "totalmente ultrapassada" e que todos os sistemas foram integralmente restabelecidos em 44 horas.

"A Fundação pode assegurar que os mecanismos de mitigação e proteção existentes para situações como a detetada permitiram evitar qualquer violação dos dados pessoais dos doentes", sublinhou o comunicado.

Vítor Cunha acrescentou que "a privacidade dos doentes da fundação não foi violada, visto que este tema é muito importante nomeadamente na área da saúde".

As autoridades judiciárias competentes já foram notificadas da ocorrência, segundo a fundação.

  • Olhá Festa em Pinhel
    11:51