País

Câmara do Seixal já tinha pedido "reforço do patrulhamento" na Aldeia de Paio Pires

Pedido tinha sido feito face às "situações e sentimentos de insegurança reportados".

A Câmara Municipal do Seixal revelou esta quarta-feira que já tinha pedido em junho um "reforço do patrulhamento de proximidade" na Aldeia de Paio Pires, onde nos últimos dias se registaram tiros e desacatos.

"A autarquia já havia solicitado à Guarda Nacional Republicana o reforço do patrulhamento de proximidade no núcleo urbano antigo da Aldeia de Paio Pires, em junho, face às situações e sentimentos de insegurança reportados", refere a Câmara do Seixal, liderada por Joaquim Santos (CDU), em resposta escrita enviada à Lusa.

No documento, a autarquia do distrito de Setúbal salienta que no início desta semana enviou um ofício ao Destacamento Territorial de Almada-Seixal da GNR, reiterando a importância de "rondas regulares e efetivas àquela zona, como medida preventiva e dissuasora de alguns comportamentos passíveis de atentar contra a segurança da população".

"Em acréscimo, dirigimos um ofício aos ministros com tutela sobre as forças de segurança, reiterando a necessidade de investimento e reforço da dotação e contingentes da GNR e da PSP, com o aumento de efetivos, aproximando os rácios à média nacional, privilegiando o policiamento de proximidade e as estratégias de prevenção", acrescenta.

Disparos com arma de fogo foram efetuados na terça-feira na via pública na Aldeia de Paio Pires, concelho do Seixal, disse à Lusa fonte da GNR, referindo que não existem vítimas a registar.

A GNR admitiu a possibilidade de a ocorrência estar relacionada com os desacatos que ocorreram na sexta-feira num estabelecimento comercial na Aldeia de Paio Pires, mas adianta que este dado só pode ser confirmado com a investigação que está a decorrer.

Também na terça-feira, um jovem de 18 anos morreu após disparos na Quinta da Princesa, no Seixal, um incidente que também causou ferimentos a um homem de 39 anos, informou fonte da PSP.

A fonte disse à Lusa que a ocorrência fez "dois feridos com recurso a arma de fogo", um jovem de 18 anos e um homem de 39 anos, os quais foram transportados para o Hospital Garcia de Orta, em Almada.

No entanto, segundo aquela força de segurança, o jovem acabou por não resistir aos ferimentos e morreu na unidade hospitalar.

A PSP esclareceu que esta situação não está relacionada com os casos em Paio Pires, tratando-se de "uma coincidência".

Lusa