País

Uma das três frentes ativas do fogo de Valpaços está a ceder aos meios

Há locais inacessíveis que dificultam o trabalho dos operacionais.

Uma das três frentes ativas do incêndio que deflagrou hoje à tarde em Valpaços, obrigando à evacuação de uma aldeia, está a ceder, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

O fogo, que chegou a ter quatro frentes ativas, tem agora três, estando uma delas a ceder aos meios de combate, referiu a mesma fonte, que se encontra em Valongo, freguesia de Ervões, Valpaços, onde está instalado o centro móvel de operações.

Contudo, a fonte acrescentou que "há locais inacessíveis", o que está a dificultar os trabalhos. Outras das dificuldades são as "fortes rajadas de vento", vincou.

Depois de deflagrar às 13:36 em Ervões, Valpaços, o fogo passou, por volta das 19:30, para o concelho vizinho de Chaves. Por esse motivo, e dada a dimensão do incêndio, foi necessário o reforço de meios operacionais.

Já uma fonte dos Bombeiros Voluntários de Valpaços revelou à Lusa que duas pessoas acamadas, habitantes em localidades de Valpaços atingidas pelo fogo, foram retiradas das habitações pela Cruz Vermelha Portuguesa e instaladas no pavilhão desportivo local.

O espaço estará aberto durante a noite caso seja preciso retirar pessoas das suas casas e realojá-las.

Segundo a página na internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o fogo estava pelas 23:30 a ser combatido por 383 bombeiros, apoiados por 119 viaturas.Durante a tarde, o combate às chamas envolveu seis meios aéreos.

Lusa