País

Médico lamenta falta de alterações à gestação de substituição

Médico lamenta falta de alterações à gestação de substituição

Miguel Silva considera que são as pessoas que precisam da lei quem mais perde com a falta de novidades do trabalho parlamentar.

O médico Miguel Silva diz que o chumbo do Tribunal Constitucional era esperado e lamenta que os deputados tenham voltado a propor a lei sem as alterações necessárias, como a falta de critérios para a escolha da grávida e o período de arrependimento.

O obstetra relembra que são as pessoas que precisam da lei quem mais perde com a falta de novidades do trabalho parlamentar.

O Tribunal Constitucional declarou inconstitucional duas normas de alteração à lei da procriação medicamente assistida, após um pedido de fiscalização preventiva suscitado pelo Presidente da República.