País

Portugueses já saíram da gruta em Espanha

Os portugueses "encontram-se bem, mas muito cansados".

Os quatro espeleólogos portugueses retidos desde sábado numa gruta no norte de Espanha foram resgatados esta segunda-feira.

A SIC acompanhou o momento da saída dos espeleólogos:

Os portugueses "encontram-se bem, mas muito cansados", disse à agência Lusa Martín González Hierro, da Fundação Espeleosocorro Cántabro (ESOCAN), durante a operação de resgate.

Os quatro portugueses, que fazem parte de um grupo de sete espeleólogos do Clube de Montanhismo Alto Relevo de Valongo, região do Porto, ficaram retidos pela água no fim-de-semana numa das grutas de Cueto-Coventosa, no norte de Espanha.

O relato de um dos portugueses resgatados

À SIC, um dos portugueses confessou que a única preocupação era a família e os amigos.

O testemunho de um dos membros da equipa de resgate

De acordo com Angel Garcia - um dos membros que resgatou os espeleólogos -, quando a equipa foi socorrer os quatro portugueses, o nível da água já tinha baixado e, como tal, conseguiram atravessar a gruta até ao local onde eles se encontravam.

Quando Angel Garcia encontrou os portugueses, eles "estavam abrigados e à espera do resgate".

A gruta onde os quatro portugueses desapareceram é uma das mais profundas da Europa. O ponto mais profundo está a 815 metros abaixo do solo e tem quase 7 quilómetros de comprimento.

Os quatro portugueses são espeleólogos experientes, que foram surpreendidos pela subida repentina das águas que bloqueram a saída.

“Hoje é o dia mais importante porque é expectável que o nível da água suba”

“Trata-se de um salvamento de grande complexidade e quem o vai realizar está exposto a certos riscos” explicou Joaquim Leonardo, numa entrevista na Edição da Manhã, da SIC Notícias.

As imagens das buscas